Os povos indígenas e as Universidades. O difícil caminho da descolonização

" Conhecimento tem que ser dividido e saboreado... O acadêmico as vezes, está na universidade para ser dar bem na vida e não para lutar pelo seu povo" ( Anastácio Kaiowá Guarani)

  Não se pode ter ilusões, muita luta será necessária para a conquista de mudanças profundas nas universidades, para que se chegue a uma  educação verdadeiramente intercultural, de mão dupla e se transforme  isso em políticas públicas em todas as instâncias, levando a uma efetiva resignação da universidade. Isso irá exigir muito debate, organização, rebeldia e coragem histórica. Essas conquistas serão fruto da luta do movimento indígena e seus aliados, da presença indígena nas universidades e de uma ampla  participação e articulação nacional e continental.

 Os desafios são muitos, vão desde as barreiras burocráticas até a ideológicas, desde a " monocultura" da escrita  até a universidade do saber local. Será preciso fortalecer os conhecimentos e sabedoria  silenciada e restituir-lhe seu potencial  subversivo, para que se possa caminhar para a " descolonização" o da monocultura do  conhecimento. Será preciso ter autonomia de pensamento, pensar com a própria cabeça sem deixar  de lado o conhecimento dos outros. Essas são algumas afirmações feitas pelo professor George Grumberg. Ganharíamos mais se perguntassem aos próprios indigenas o que eles podem fazer pela universidade, do que estas podem fazer pelos indígenas.Nossas universidades continuam sendo um deserto com relação aos povos indigenas. Precisamos indianizar as nossas bibliotecas, restaurar a pedagogia de oralidade, criar novos cursos, forçar mudanças curriculares apartir da presença  e luta dos povos indigenas na universidade, se a universidade tem sido tradicionalmente uma fábrica de " brancos" entra indigena e sai branco, é possivel subverter essa realidade de homogeneidade e monolitismo. É possivel e necessário a construção de uma outra universidade, não para os índios mas dos indígenas.

Alguns dados em fonte de pesquisa da ANAI

180.000 estudantes indígenas nas aldeias

3.500 escolas indígenas

115 escolas de ensino médio nas terras indígenas

4.000 estudantes indígenas nas universidades

500 acadêmicos indígenas noMato Grosso do Sul

Exibições: 183

Responder esta

Respostas a este tópico

 

Paula,

 

Por gentileza, gostaria dos seus contatos. Sou jornalista, do Rio de Janeiro.

 

Agradeço antecipadamente,

 

Rosiane

paulinhakalanta@yahoo.com.br

kalantã Bezerra de Deus      Facebook

telefone (71) 35212636 ou 87578769

Rosiane Rodrigues disse:

 

Paula,

 

Por gentileza, gostaria dos seus contatos. Sou jornalista, do Rio de Janeiro.

 

Agradeço antecipadamente,

 

Rosiane

Responder à discussão

RSS

Translation:

Publicidade

Baixe o App do Correio Nagô na Apple Store.

Correio Nagô - iN4P Inc.

Rádio ONU

Sobre

© 2019   Criado por ERIC ROBERT.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço