Caríssimos, Diante das recentes demandas para atender as mais diferentes ações da causa antirracista, entendo que seja necessário fazer alguns esclarecimentos. Quando nós organizamos a ABPN em 2000, nossa perspectiva não era construir uma organização do Movimento Negro, embora esta dubiedade sempre existiu/ se confrontou no seio da associação. Aqueles que como eu se engajaram neste processo, participavam desde 1996, da articulação de núcleos de estudos afro-brasileiros, que se constituiu em Brasília, a partir do Seminário Multiculturalismo e Políticas de Ação Afirmativa, organizado por Dulce Pereira. Pararelo ao trabalho que levou a organização do Encontro de Pesquisadores Negros de São Paulo (Marília, 1989), Wilson Mattos, Dagoberto,Anória, Acácio Santos, Carla Nascimento, Palmira, entre outros, participavamos da organização do Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros da PUC/SP, onde sofremos inúmeros ataques de organizações paulistanas, justamente porque nós fizemos uma opção pela Academia. Dizíamos que queríamos assaltar o céu. enfrentar a supremacia branca ali onde ela se legitimava: a universidade. Em 1991, organizamos um Seminário com o seguinte tema: Superar a Denúncia,o desafio do movimento negro. Dele participaram Hamilton Cardoso, Dulce Pereira, Lélia Gonzales, Octávio Ianni e Julio Tavares. Queríamos no diálogo com os mais velhos construir uma outra perspectiva de ação antirracista que superasse a estratégia da denúncia do MN (Saudações a Miriam Ferrara). Ousamos fazer experimentações e contribuímos, por conta do nosso contato com a antropologia de Kabengele Munanga, Fabio Leite, Teresinha Bernardo e Josideth Consorte e a história de Déa Ribeiro Fenelon, Maria Antonieta Antonacci,Yara Maria Aun Khoury, ente outros, por colocar a cultura, as culturas africanas no centro da reflexão sobre modos de vida. De certa maneira, fizemos parte de uma geração de intelectuais/acadêmicos com um modo diferente de pensar e agir sobre o racismo.Nós optamos por uma ação institucional na universidade brasileira. Por isso, 20 anos depois, ao organizar o VII COPENE propusemos como tema, reparem os desafios da luta antirracista!!! Embora não devamos deixar de participar das mobilizações anti-racistas de um modo geral, a tarefa mais importante da ABPN, no meu entendimento, é dialogar com as agências públicas e da cooperação internacional no sentido de apresentar e negociar uma agenda dos pesquisadores negros. Neste sentido, nosso foco são as inúmeras condicionantes que configuram um telhado de vidro que impedem a nossa ascensão enquanto acadêmicos e a consolidação dos estudos africanos e da diáspora africana na Universidade. Trata-se de organizar um ataque coordenado a academia, de modo que a gente garanta nossa presença na Universidade e com todos os desdobramentos positivos que isso representa. Polêmicas são importantes, mas não devem pautar nossa intervenção. No curto prazo me interessa muito mais, identificar e propor soluções para aqueles obstáculos que impedem o acesso, permanência e sucesso na Universidade. Travamos uma dialogo com Ministério da Saúde, SEPPIR, MEC, MINc, por exemplo, em torno do financiamento de pesquisas, consolidação dos núcleos de estudos afro-brasileiros e remoção daqueles elementos que impedem a expansão de pesquisas e pesquisadores negros. Nossa tarefa fundamental e que trará legitimidade institucional para ABPN está na capacidade , em articulação com os NEABS, de pensar, monitorar, orientar, dar ganhos de escala e capilaridade as políticas públicas para os Afros. Um outro ponto que considero importante, é a formação de fontes de informação e de quadros com grande competência técnica e sensibilidade social para a gestão pública e coordenação de instituições da sociedade civil. Deixei o Movimento Negro em 1996 quando saí o Núcleo de Estudos Negros, pois entendo que os pesquisadores e os NEABS são um novo ator político na luta antirracista com uma agenda própria que implica em articulação, dialogo com o movimento negro, mas que não se confunde com ele. Um abraço, Paulino Cardoso

Exibições: 152

Responder esta

Respostas a este tópico

VERGONHO, enganando mais uma vez a nação brasileira, como pode mais de 5.000 estudantes e só 300 mil vagas para universidade??? E ainda acham normal, explorarem mais de tres mil candidatos, que pagam taxas,  para só uma vaga de emprego???Que pais é este???

Estão tentando de todas as formas manter o domínio NAZISTAS,  mas a reeleição do Obama,  nas pesquisas mesmo que não queiram mas veio mostrando o que é uma tendência MUNDIAL que nazistas estão completamente sem força, pois ASIÁTICOS, HOMOSSEXUAIS E PRINCIPALMENTE A NAÇÃO PRETA,  e etc. estão kd vez mais UNIDAS!!! Só aqui no Brasil que é vergonhosos a pese-uda sexta economia do mundo pagar para mostrar ao mundo que aqui SERIA  o reduto de nazista que o MUNDO  todo tem NOJO! Como pode um pais feito o nosso completamente MESTIÇO e de maioria de pessoas de cor PRETA, as propagandas que eles próprios se premiam, serem destes aspectos???

1-     E se percebe mais uma NUCLEAR nos pés das igrejas que até bem pouco tempo diziam que pessoas de cor pretas e indígenas não possuíam almas, vem com esta campanha na CONTRA A MÃO  da PAZ,  envergonhando a imagem do ministério publico como sempre a igreja tem feito com entidades que deveriam dar exemplos de seriedades e de justiça, mas ve sujando mais uma vez impreguinando mais mentiras???

2-      Pessoas também e principalmente exotéricas ou até crianças sabem, que ao fazer meditações ou para se acalmar é preciso contar de 10 a 0, pois se contam em ordem progressiva a tendência é a pessoa ficar ainda mais nervosa!

3-       Branco pela paz é NAZISMO EXPLICITO, pois se diz que branco seria a paz é o mesmo de dizer que a pessoa humana da cor preta seria a violência, ( pois ninguém tem orgulho de ser carne podres que é o que significa a palavra negro, que a igreja criou em nome de fazer as pessoas HUMANAS  de cor preta falarem e eles ainda rirem destas pessoas enquanto embranqueciam tudo que a NAÇÃO PRETA  criou) pois PAZ, não tem cor ou que diferença faz a cor de pele ou de roupa para quem rouba ou mata e etc.? e AINDA COLOCAM PESSOAS DE COR PRETA NO MAIOR CINISMO????

Todo mundo sabe que atualmente amarelo e vermelho é pelo VATICANO,  que nos exploram por detrás de todas as políticas do MUNDO e hoje usa  as cores de PORTUGAL ou ALEMANHA com o manto SAGRADO DA PEDOFILIA  e um dos símbolos do NAZISMO? Que o Vaticano vem mais uma vez envolvendo o mundo como fez com Ano do Brasil na França e da Itália, como forma de quem usam as cores assim também vermelho e branco que é pela Suíça é para dizer que todos nas cores destes países estariam dizendo sim ao NAZISMO E A PEDOFILIA! 
 Não dão os braços a torcer, mas darão seus BOLSOS,  pois as campanhas de BOICOTES, com esta frase corre a solta kd dia mais, " SE NÃO DÃO VALORES A NOSSA IMAGEM NEM EMPREGOS A NOSSA GENTE, NÃO MERECEM NEM VER E NEM TER  A COR DA NOSSA GRANA PRETA"! Pois a kd pirracinha de kd propaganda NAZISTA, lembramos do que poderia ser um emprego para uma sobrinha, filho, pai, mãe e etc. de nossa gente, e ai nos dá mais VONTADE, de espalhar mesmo para ninguém COMPRAR estes produtos, e então esta frase , serve para todas as pessoas que são discriminadas nas horas dos empregos ou seja;  idosos, asiáticos  homossexuais, indígenas, pessoas gordas etc. mas principalmente para nossa NAÇÃO PRETA,  que junto com as pessoas brancas que a gente ama e que nos amam também pois, não são racistas ou tem filhas ou pai pretos etc., SOMOS MAIORIA  de consumidores e estamos DESLIGANDO AUDIÊNCIAS E BOICOTANDO MESMO também lojas que só se ve gente por cotas, pois cotas damos de rações a animais e se for assim a RECIPROCA E BEM JUSTA, POIS AGORA O FEITIÇO SE VIROU CONTRA O FEITICEIRO; QUEREMOS COTAS PARA BRANCOS EM TUDO QUE SÃO DE CRIATIVIDADES PRETAS E INDÍGENAS  Ou não seria justo? E não teremos por obrigação de manter cotas por mesmo por lei nem o governo RESPEITOU, pois basta ver a foro da politica que assustou a diplomata da Africa!  Ou mesmo antes nunca vimos um restaurante alemão com  obrigação de dar emprego a dois japoneses? Portanto kd nação sobrevive da sua cultura e a nossa EMBRANQUECERAM  desde os primórdios tempos, podem colocam brancos para cantar Funk ou Hip hop , samba, pagode etc. em programas de gente preta apresentando, mas estes se apresentando em qualquer parte, serão vistos e chamados globalizadamente como LADRÕES dos espaços de trabalho da NAÇÃO PRETA!!!!!

Responder à discussão

RSS

Translation:

Publicidade

Baixe o App do Correio Nagô na Apple Store.

Correio Nagô - iN4P Inc.

Rádio ONU

Sobre

© 2020   Criado por ERIC ROBERT.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço