Informação

Diversidade Religiosa

Grupo de discussão para o diálogo entre pessoas das diversas religiões. Povo de Santo, Católicos, Protestantes, Espíritas, Budistas, Muçulmanos, Agnósticos..aqui é o espaço para você manifestar sua opinião!

Membros: 104
Última atividade: 20 Ago, 2016

Fórum de discussão

REGULAMENTAÇÃO DA ASSISTENCIA RELIGIOSA NOS HOSPITAIS DA REDE SUS/BA

. A Regulamentação da Assistência Religiosa nosHospitais da Rede SUS/BA, estará sendo entregue ao Secretário da Saúde ainda este mês, pelo Comitê Técnico Estadual da Saúde da População Negra.Continuar

Iniciado por Tania Maria Coutinho 6 Out, 2012.

SSA: campanha estimula o respeito à diversidade religiosa

Com o objetivo de promover o respeito à diversidade religiosa, foi lançado no último sábado (14/01), em Salvador, a campanha publicitária “Unidos contra a Intolerância Religiosa”. Uma iniciativa da Ouvidoria da Câmara Municipal, em parceria com o…Continuar

Tags: intolerancia

Iniciado por Instituto Mídia Étnica 20 Jan, 2012.

Sorteio especial de Natal da Balaco Roupas Afro-brasileiras 2 respostas 

A grife Balaco Roupas Afro-brasileiras, nossa parceira, quer presentear nossas leitoras do Rio de Janeiro com uma linda guirlanda personalizada que homenageia Oxum, para enfeitar sua casa neste Natal com muito estilo.…Continuar

Tags: parceria, sorteio, natal, mulher_negra, kianda

Iniciado por Belezas de Kianda. Última resposta de Belezas de Kianda 16 Dez, 2011.

Por que ser ateu no Brasil é sinônimo de ser uma pessoa má e violenta?

 Falamos de preconceitos contra religiosos, mas uma questão também importante é a carga negativa que pessoas agnósticas/atéias recebem pelo simples fato de não acreditarem na existência de um ser divino. Um caso clássico foi o do jornalista Luiz…Continuar

Tags: ateus

Iniciado por Instituto Mídia Étnica. Última resposta de Instituto Mídia Étnica 16 Fev, 2011.

Caixa de Recados

Comentar

Você precisa ser um membro de Diversidade Religiosa para adicionar comentários!

Comentário de Júlio César da Silva Corrêa em 19 março 2013 às 9:50

Fico muito triste quando digo que sou UMBANDISTA e as pessoas dizem poxa isso é do diabo e vc's são atrasados, a grande maioria não conhecem a UMBANDA e criticam. 

Comentário de Instituto Mídia Étnica em 20 janeiro 2012 às 19:25

Direito de Resposta para a TV Record

Comentário de Instituto Mídia Étnica em 20 janeiro 2012 às 19:09

Comentário de Andréa Meneses em 20 janeiro 2012 às 13:20

xou de bola, tem mais??

Comentário de marcos santos de souza em 18 dezembro 2011 às 10:10

mayara mutti eu acredito assim como vc que religiao e deus ou deuses ou a falta deles deveria ser exposto, quando feito, em modo de compartilhamento ou em modo de partilha e nao de imposição. me assusta o tom impositivo que as ideias de religiao, geralmente religiao monoteista, sao colocadas. so pra ficar na bahia: a desconsideração às religioes de matriz africana em detrimento do cristianismo chega a ser  criminosa, pois evidencia o racismo religioso de seculos de agressiva imposição do catolicismo e outros tantos de protestantismo. claro que o candomble é somente mais uma na mira do fundamentalismo das religioes que gozam de hegemonia; o espiritsmo é outra. engraçado é que o judaísmo é uma religiao tao tolerante com as outras que chega mesmo a parir outras religioes como o proprio catolicismo e este tem mantido praticas tao severamnete fechadas e dogmaticas, embora pouse de tolerante - nós te aceitamos, excentricos -.mas de qq modo, eu ainda creio que estas centenas de anos de opressão religiosa catolica nao chegam aos pés de algumas dezenas de dominio pretestante quando o tema é tolerância às praticas afroreligiosas. no mais o que eu gostaria de deixar como pensamento aqui neste espaço é  que debater religiao no lugar que o afrodescendente ocupa nos espaços de debate é mais que fundamental, é fundacional, pois o corpo de mitos do camdomble dá a base para se pensar ancestralidade, que é algo totalmente biologico (cultural, sobretudo), contingente, inescolhivel. e quando se apaga este traço o que se tem? se tem o esvaziamento de identidades latentes, presentes, exploradas pelos interesses mais capitalistas possiveis e nunca ou quase nunca explorados em função de uma construçao positiva do sujeito com identidades e afinidades afroancestrais. o debate sobre religiao e o negro dentro, ou seja, no meios deste debate, pode apontar pra um espaço de afirmação de si dos seus na historia e nao mais pra um cenario onde dizem o negro é maior opressor de seu igual, quando na verdade anos e anos de desigualdade calcificaram nos individuos o sentimento que os torna individiveis, alienaveis, mais que o lobo do homem, o lixo da humanidade, o ser a ser superado como queria Nietzsche. detectar este homem em nos, este ser  a ser superado, implicará em vermo-nos vencidos, esgotados, sem saida, tendo de ceder tudo, tendo de tudo entregar, inclusive e sobretudo, as certezas. pra ver as religioes - estas que me interessam, nao sou teorico das religioes - de matriz afro como elas sao de fato é preciso enterrar as referencias alienigenas - cristo, buda, jeova - e mergulhar na noite que tem sido, por exemplo, so pra ficar nesta que me afeta, o candomble.

Comentário de Ceiça Axé em 4 dezembro 2011 às 17:10

Se o País é Laico ,logo todas as Religiões tem que ter Direitos Iguais: Mais as Religiões de Matrizes Afroíndigenas  estão na LUTA pelo  Respeitos aos Direitos!

Comentário de Mayara Mutti em 8 outubro 2011 às 1:25
Acho que o tema "Religião" é muito subjetivo para ser fechado. Mas concordo com você qando diz que nossa sociedade já se permite discutir o ue outrora era tabu, Penso que falar de religião pode gerar sim questões polêmicas, mas todos que se estiverem dispostos a falar sobre isso deve esta consciente de que se trata de um compartilhar de saberes e não uma guerra onde alguém deve ter razão no final. As crenças, a fé são questões complexas pois fazem parte do ser humano e ao mesmo tempo paracem reger o seu comportamento e forma de pensar. O ser humano deveria aprender a conviver com a diversidade.
Comentário de Instituto Mídia Étnica em 16 fevereiro 2011 às 21:39
Comentário de Instituto Mídia Étnica em 1 fevereiro 2011 às 14:22
Querid@s,

A Muito, através da jornalista Tatiana Mendonça, entrevistou a nossa grande Zulmira de Nanã. Esta entrevista abre uma série do homenagens que nossa mãe receberá até 30 de Novembro de 2011, quando completará 70 anos de iniciação no candomblé.Dada a competência de Tati, que se desenha no Abre Aspas da Muito, que já entrevistou Vilma Reis, Makota Valdina, Obaraí, entre outros, a entrevista vai ser só beleza.A mãe entrevistada é a "Senhora da Doçura", sábia das nações,transcendente sacerdotisa que muito ( e de verdade) orgulha o povo-de-santo do Brasil.

Não percam e conheçam um pouco de mãe Zulmira...

Domingo: 06/02/2011 ( tinha que ser em fevereiro!)

Revista Muito ( No Jornal A Tarde).

A bênção e Axé!
Marlon Marcos Vieira Passos
.............................................................................................................
"E aquela num tom de Azul quase inexistente
 Azul que não há
 Azul que é pura memória de algum lugar".
 "Iyá Ori Mi Ô Odô Iyá".


Comentário de Joao Jorge Santos Rodrigues em 18 janeiro 2011 às 14:10

Boa tarde

 

Vou postar aqui um texto sobre a questão de programas religiosos na TV Brasil.

 

 

Membros (103)

 
 
 

© 2017   Criado por ERIC ROBERT.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço