A Literatura Negra dará a letra no estado de Sergipe.

    Dos dias 7 a 11 deste mês, ocorrerá no auditório da Associação dos Docentes da Universidade Federal de Sergipe (ADUFS), o 1º Curso de Extensão e Introdução a Literatura Afrobrasileira, produzido pela Pró-reitoria de Extensão em parceria com o Departamento de Letras Vernáculas.

    Com a pretensão de convidar a comunidade acadêmica, e também os professores da rede pública para participar do espaço. O evento pautará durante 4 dias estudos concernente à literatura afrobrasileira contextualizada na literatura nacional, através da utilização da lírica contemporânea produzidas por autores negros e negras.

    Apesar de ainda ocupar um lugar ínfimo nos estudos literários nacional, a literatura forjada no processo de resistência e valorização da identidade negra transcenderá  os preconceitos enraizados nas relações raciais estabelecidas no Brasil, e com isso trará à tona um tema que pouco abordado dentro das salas de aula.

    Para a Drª Rosemere Ferreira, professora do Departamento de Letras Vernáculas da UFS, e uma das idealizadoras do curso de extensão, “o seminário de Literatura Afrobrasileira será um momento impar na universidade, pois, o curso tem como primeiro plano questionar à literatura brasileira instituída para em segundo momento, o mesmo ressaltar a essência do que venha ser cultura e seu caráter filosófico dentro da perspectiva de literatos (as) negros e negras”.

Contudo, apesar de o estado de Sergipe ocupar 8º lugar no que diz respeito à concentração de negros e negras em seu espaço geográfico, a negritude em suas variadas formas e níveis de expressão ainda é marginalizada pelo racismo transvestido no mito da democracia racial introjetado no senso comum da população brasileira, especialmente no estado. Prova maior que ainda se perpetua a segregação sociorrcial no Brasil, fora que no mês de abril, o Supremo Tribunal Federal, julgou que o sistema de reservas de vaga para o ingresso de estudantes negros e negras é constitucional.

Temas como Poesia Lírica Afrobrasileira, Identidade Étnicorracial e o questionamento do que venha  ser a Literatura Negra, serão questões pontuais para que os participantes do curso possam compreender a real urgência de o estado brasileiro reconhecer em todas as instâncias de seu sistema educacional a produção literária dos (as) descendentes de africanos nascido em terras tupiniquins. Para o estudante de Comunicação Social Pedro Alexandre, “devido ao racismo institucional, as universidades públicas e particulares, acabam por enaltecer um ensino eurocêntrico não condizente com a realidade sociodemográfica regional. Com isso cada vez mais torna-se difícil o processo de tomada da consciência Afrobrasileira por parte daqueles que sempre encontram dificuldades na mobilidade dentro da sociedade”, afirma.

No dia 10 de maio, no anoitecer, o evento terá o prestígio de contar com o grupo de teatro sergipano Strutífera Navis, que traz elementos da dramaturgia grega hibridizado com a cultura negra na peça de teatro Antígona.
 
O  Curso de Extensão e Introdução a Literatura Afrobrasileira, é ponta pé inicial na UFS para que cada vez mais, temas que norteiam a nossa cultura de matriz africana possam se descolar de sua atual posição secundária dentro das salas de aula, e ganhar a mesma relevância dada a obras literárias de grandes escritores (as) brancos (as). As inscrições estão no valor de R$ 50,00 e podem ser feitas pelo site www.sigaa.ufs.br para os docentes e discentes da instituição, e, para o público externo maiores informações serão ofertadas através do telefone (79) 2105-6730. Acesso à programação na integra: http://www.ufs.br/conteudo/curso-extens-introdu-literatura-afrobras....


Exibições: 668

Comentar

Você precisa ser um membro de Correio Nagô para adicionar comentários!

Entrar em Correio Nagô

Translation:

Publicidade

Baixe o App do Correio Nagô na Apple Store.

Correio Nagô - iN4P Inc.

Rádio ONU

Sobre

© 2019   Criado por ERIC ROBERT.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço