Concurso de Miss Brasil será na Dinamarca a partir do próximo ano!?

Como sempre postamos aqui no Correio Nagô, parece mesmo que o Brasil não quer assumir suas raízes africanas. O cerne do debate é o mesmo sempre, a ausência de diversidade em um país que mais de 90 milhões de afrodescendentes, sendo a segunda nação mais negra do mundo. Reproduzimos aqui um post do jornalista Ras Adauto (http://ppaberlin.wordpress.com) falando sobre o concurso Miss Brasil 2011, relacionando inclusive com a Itália, um país branco que que elegeu uma negra como representante. Lembramos também que a Alemanha deu exemplo no ano passado ao escolher uma etíope como representante daquele país que já teve o nazismo como regime. Pelo visto estamos bem atrasados.

 

Vejam abaixo o post e a imagem, que como diz o ditado, fala mais do que mil palavras.

 

**************************************

Ontem foi a noite das candidatas da Miss Brasil 2011. E por incrível que pareca entre as 24 candidatas ao título não tinha uma jovem negra, ou coisa parecida. A vencedora foi a Miss do Rio Grande do Sul, Priscila Machado.


Parece que o Brasil realmente não aprende a tratar melhor a diversidade de seu povo. Enquanto uma jovem negra baiana é eleita a Miss Itália no Mundo 2011, aqui nem uma candidata negra não apareceu no espectro das ditas belezas brasileiras. Eu tenho uma sugestão a fazer: que apartir do próximo ano o concurso de Miss Brasil seja realizado na Dinamarca. Assim estará perfeitamente enquadrdo no perfil que desejam.


Ras Adauto/PPABerlin/NAI

http://ppaberlin.wordpress.com

 


 

 

 

Exibições: 335

Comentar

Você precisa ser um membro de Correio Nagô para adicionar comentários!

Entrar em Correio Nagô

Comentário de Eu em 16 fevereiro 2012 às 22:07

Eu concordo plenamente com o escritor ou escritora desse artigo. O problema de legitimidade e da inclusão do(a) africano(a) descendente com maior oportunidade e visibilidade no Brasil é histórico e cultural mas pode ser revertido com a união africanos descendentes em grupos e em organizações como essas para consciêntização dessa realidade. Nós temos o poder financeiro e devemos boicotar tudo que não estiver ligitimamente representando pelos africanos descendentes. Não ter medo de falar públicamente sobre o assunto.Países como EUA e até mesmo a Africa do Sul por exemplo, estão muito no mais avançados que o Brasil. Nos EUA o boicote foi a grande mola motora do movimento pelos Direitos Civis. O que quero dizer sem esforço não há conquista. Ninguém nos dará nada. Africanos(as) descendentes tem que votar em africanos (as) descendentes, comprar produtos que tenham africanos(as) descendentes no topo da pirâmide como diretores(as) e com visibilidade  em comerciais e etc.

Comentário de jorge amancio em 27 julho 2011 às 22:02
Se o Brasil é racista isto não é novidade para ninguém. Agora o que a ideologia racista produz no Brasil é que primeiramente deve ser combatido.
Criou-se no país um fenômeno não raro mundialmente e de proporções desatrosas no Brasil a NEGROFOBIA.
O combate começa por ai aos "negrófobos"; estes que ditam as leis, que organizam eventos, que contratam pessoas, que são sacerdotes em religiões etc. A negrofobia chegou a um nível que habita o censo comum de muita gente inclusive nós. Essa é a arma que o racismo implantou na sociedade, a negrofobia, e a ela deve começar a nossa luta.
O Brasil não quer ser negro.
O Brasil é "NEGRÓFOBO".
E você?
Comentário de Marco Antonio Soares em 25 julho 2011 às 20:25
Já passou da hora de termos um concurso Miss Afro-Brasil ao invés de ficar nessa chorumela e ainda por cima utilizando essas estatísticas fajutas de maioria negra. Desde quando pardo é algo a ser considerado ? Quem não se identifica corretaemnte deve ser trabalhado politicamente e não deveria haver esse "jeitinho" de contornar agregando pretos ( que isso ? carvão? ) e pardos ( filho de pardais ?), até porque muitos dos classificados como "pardos" são nossos irmãos nativo-descendentes que sequer têm uma classificação identitária para se definir ( indígena não é raça/etnia ).
Comentário de Thiane Araujo em 25 julho 2011 às 20:10
Meu caro, Marcos Romão, não preciso perguntar aos meus tios e tias como era e como é, conheço a minha história e a minha realidade. Como já citei aqui, tenho mãe negra que também sofreu e ainda sofre com o racismo e sei exatamente sobre qual assunto estou discorrendo. Respeito o seu ponto de vista e espero que também respeite o meu. Este é um espaço aberto a todos para exposição de diferentes opiniões.

Minha cara, Nelza Jaqueline, obrigada pelas informações. Você apresentou fatos que com toda certeza serão úteis em um futuro debate. Não conheço todas as negras do meu estado, mas conheço uma boa quantidade em virtude de me envolver com desfiles cívicos, então trabalho com meninas que são pré-selecionadas para lugares de destaque à frente da filarmônica de uma escola de música que dá suporte a desfiles em vários municípios do estado. No desfile cívico de 2010, a menina que estava à frente da nossa filarmônica é negra e lindíssima como você! E não estou dizendo que você é linda somente pelo fato de você ser negra, é pq de fato aos meus olhos vc é linda. Conheço mais duas que são modelos e não se inscreveram no concurso estadual não por já saberem que não seriam escolhidas, e sim porque tinham outras prioridades pessoais. Mas é claro que deve haver outras candidatas com este receio que você citou isso é realmente lamentável e o fato merece atenção especial e ser debatido. :D


Minha companheira, Tati_cassynha, me perdoe, talvez eu tenha me expressado mal. É que eu acho que para alguém abrir um debate sobre tal assunto, precisa apresentar uma estatística, mais fatos, já que envolve um concurso de nível nacional... até para nos estigar a argumentar. Achei o texto muito vazio, somente com reclamações. Acredite, é claro que eu notei que não tivemos nenhuma candidata negra no concurso, mesmo ciente do racismo que assola o nosso país, ainda prefiro averiguar os fatos antes de criticar. Mas é claro que respeito a sua opinião e agradeço pelo comentário. Grande abraço!
Comentário de Marcos Romão em 25 julho 2011 às 17:25

Esse papo me deu uma saudade imensa daVera Lúcia Couto, Miss Renascença e depois miss Guanabara, que só perdeu para uma paranaense ficando em segundo lugar. Foi a primeira mulher negra a ganhar um concurso d beleza no Brasil(será que foi a única e última?).

E foi em 64, depois disso, não tivemos mais chances de termos símbolos de auto-estima. Só avacalhação, só mamãe Dolores( que virava apelido de qualquer negra ou negro mais fofinha.

Eram tempos que me dava uma piedade só, ter que ver tantas mulheres negras só representarem capachos dos brancos e mulatas sargentellis. Minha geração não teve chance de ter símbolos. Tivemos que criar; Ralamos. Tantas mulheres negras lindas que aparecem hoje, tantos negros lindos que aparecem hoje, até no facebook e no twitter. Thiane deve achar que isso é papo de de rejeitada. Pergunte às suas tias e tios como é que era e é, Thiane. Curta a sua beleza, que você merece. As mulheres e os homens negros estão aí para proteger o seu crescimento espiritual e físico.

Ai que saudade da Vera Couto, minha inspiração nos meus 10 anos de idade...Agora eu não me importo mais com estes concursos mas sei que para milhões de pessoas vale, para as crianças vale, para nossas primas, primos e vizinhos vale, e ver uma foto destas com mulheres tão lindas mas só de uma cor, é uma paulada na moleira do coração mais frio. 

Comentário de Ângela Eça de Oliveira em 25 julho 2011 às 15:01

 É lamentável ainda hoje vivermos negando nossas raízes!

Comentário de Tati_cassynha em 25 julho 2011 às 14:14

Boa tarde a tod@s.

Não concordo com a fala da nossa companheira Thiane, aonde ela disse que esse post foi extremamente apelativo e de mau gosto;penso eu que temos que discutir tudo principalmente quando se trata de nós negros.

Também não concordo com esse concurso de miss Brasil, acho uma furada um País,onde somos a maioria não ter nenhuma candidata negra...será que; é pq elas não querem? ou a hora que chegam la para se inscrever não tem o prefil adequado; para os  padrões? rsrsrs já são barradas antes de entrarem na passarela,sacanagem os próprios que fazem a seleção ja são racistas camuflados....é meu ponto de vista.

axé a tod@s Tati - RC - SP

 

Comentário de Nelza Jaqueline Siqueira Franco em 25 julho 2011 às 11:56
Não sei da realidade do seu estado Thiane, mas de repente as candidatas negras nem o fazem pois já sabem que nunca serão escolhidas, por que o perfil do concurso é não querê-las. No concurso do meu estado, o RS, sempre há concorrentes negras, tanto que a miss Porto Alegre foi escolhida uma das três mais belas misses do estado, juntamente com a vencedora que foi a eleita do sábado como representante do Brasil. Não é coitadismo é constatação.
Comentário de clemente dos santos silva em 25 julho 2011 às 11:41
Será que vamos apelar também para as cotas? é lamentavel.
Comentário de Thiane Araujo em 25 julho 2011 às 11:08

Agora é possível fazer o debate! Roseli Rocha nos trouxe argumentos pertinentes para tratarmos do assunto. Somente reclamar pq é preto ou branco é inadimissível. Não sou fanática pelo concurso em questão, então eu pergunto: Existe estatística? Quantas candidatas negras por estado? Quantas se submetem a tal? Obedecem aos padrões? (Quando digo "padrões" não me refiro à cor. Nós sabemos que mulher "gostosa" é uma coisa, mulher miss é outra.) Que fique claro que sou uma apreciadora da beleza negra, minha mãe é negra, eu também sou negra e filha de OXUM. Sou sergipana e a nossa candidata não é negra, mas ao meu ver ela não é nenhum pouco competitiva. Conheço mulheres negras e lindas que nos representariam muito bem e com certeza nos dariam uma melhor colocação, mas existe um porém, elas não se increverem para o concurso de Miss Sergipe.

O meu questionamento gira em torno do bom senso! Para argumentar é necessário trazer fatos que contrapunham os que já existem, assim como fez a Roseli! Ela nos trouxe fatos! Se fazer de coitado(A) não resolve. Lute, mas lute com dignidade. Não tem que baixar a cabeça e pedir pelo amor de Deus!

 

P.S: Sou totalmente consciente do racismo que assola o nosso país. Levanto as bandeiras contra o racismo e a favor das religiões afro. Também faço parte dessa luta.

Translation:

Publicidade

Baixe o App do Correio Nagô na Apple Store.

Correio Nagô - iN4P Inc.

Rádio ONU

Sobre

© 2019   Criado por ERIC ROBERT.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço