Curso "200 Anos de Poesia na Bahia" destacará a importância da literatura negra


  
Na próxima sexta-feira, dia 2 de setembro, o poeta baiano José Carlos Limeira ministrará a palestra “De Luiz Gama a Landê Onawalê: um retrato da poesia baiana de matriz africana”. A atividade faz parte dos festejos alusivos ao Bicentenário da Biblioteca Pública do Estado da Bahia, e integra o curso 200 Anos de Poesia na Bahia ministrado pelo poeta Douglas de Almeida, que já se encontra no terceiro módulo. O evento terá início às 15h, na sala Katia Mattoso da biblioteca localizada nos Barris.

“Quem desconhece seus autores ignora sua cultura e desconhece o seu próprio país”, assim definiu José Carlos Limeira sobre a importância da literatura poética negra na formação intelectual do Brasil e do mundo. Sempre atento aos espaços reservados na história à contribuição cultural negra, Limeira destaca esta ferramenta como forma de reconhecimento da população afro–brasileira e de contestação às desigualdades sociais e raciais. “O não reconhecimento desta expressão se dá pelo fato de, historicamente, a literatura ser um terreno interditado às expressões negras. Além do mais, falamos de coisas dolorosas, retratamos a realidade vivida pelo o negro. Só nós podemos falar de nós mesmos”, afirma.

A palestra -  A convite do poeta Douglas Almeida, apresentará o caminho traçado pela literatura negra baiana tendo como ícones grandes autores como o abolicionista Luiz Gama, autor de Primeiras Trovas Burlescas de Getulino, e Reinaldo Santana Sampaio ou Tata Landê Onawalê, com é conhecido. Segundo Limeira, a aula ainda contará com fotos e muita surpresa. “Irei destacar versos conhecidíssimos no meio literário que foram criados por poetas negros, porém têm suas autorias desconhecidas” ressalta. O poeta também enfatizará a Literatura Negra como ferramenta de insubmissão social, de contestação ao racismo, e de valorização da mulher negra e da religiosidade de matriz africana, dentre outros temas. Entre os autores contemporâneos, além de Landê, destacam-se Geovani Sobrevivente, coordenador do grupo de teatro e poesia Choque Cultural, as poetisas Mel Ádun e Jocélia Fonseca, e o próprio Limeira.

O palestrante – José Carlos Limeira é um dos criadores da coleção Cadernos Negros, em 1978, na cidade de São Paulo, que, desde então, publica poemas e contos de escritores comprometidos com a literatura afro-brasileira. Em sua bibliografia literária, destacam-se obras como: Zumbi...dos, Lembranças, O Arco-íris Negro, Atabaques, Black Intentions, Malakê, dentre outros.

Exibições: 540

Comentar

Você precisa ser um membro de Correio Nagô para adicionar comentários!

Entrar em Correio Nagô

Comentário de Eduardo Machado em 2 setembro 2011 às 19:16

Compreendo a situação, mas acredito que Nós temos que provocar estas ações cutucando  de todas as formas, o Estado, as Instituições e claro a própria Comunidade Negra a participar e exigir eventos deste suporte aonde estivermos.

ABRAXÉ A TOD@S!!!

Comentário de Diane em 2 setembro 2011 às 15:01
QUERIA TANTO ESTAR AÍ PARA PARTICIPAR DESSE EVENTO. PARABÉNS!
Comentário de paulo alves em 1 setembro 2011 às 14:15

Fantástica programação!

 Todo glamor desta natureza só acontece na capital do estado, aqui em nossa região setorial litoral sul o negro continua na invisibilidade, mesmo com algumas pessoas empenhadas na inclusão social deste seguimento.

Abraços Afros a todos.

Translation:

Publicidade

Baixe o App do Correio Nagô na Apple Store.

Correio Nagô - iN4P Inc.

Rádio ONU

Sobre

© 2019   Criado por ERIC ROBERT.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço