Debate sobre preconceito racial esquenta o clima de programa da Rede Globo

Redação Correio Nagô - Um debate esquentou o clima da edição desta sexta-feira (23) do programa “Encontro com Fátima Bernades”, da Rede Globo. A atriz Suzana Vieira e o cantor Toni Garrido foram alguns dos convidados do programa.

O tema principal do debate era a posse do ministro Joaquim Barbosa. Quando o tema convergiu para o preconceito com pessoas que moram em bairros periféricos, Suzana disse que a empregada, a manicure e o caseiro dela são da Rocinha e que na Barra da Tijuca, os moradores não têm preconceito porque precisam das pessoas da favela pra essas funções.

"Não vou tirar a minha mão da mão da manicure depois que ela me falar que é da Rocinha", disse a atriz. Suzana ainda afirmou que os negros não podem ficar se fazendo de vítimas, já que estudantes brancos e pobres também sofrem.

Já o cantor Toni Garrido emendou: "Da favela também saem médicos, advogados, estudantes e cientistas. A visão que se tem das comunidades é muito antiga e escravizada. Completamente fora do padrão do que a gente quer hoje".

Leia matéria completa aqui

Exibições: 1225

Comentar

Você precisa ser um membro de Correio Nagô para adicionar comentários!

Entrar em Correio Nagô

Comentário de michele dias em 28 novembro 2012 às 16:05

a atriz ainda não pegou a visão que o negro é tudo 

Comentário de BRUNO IGOR RODRIGUES em 25 novembro 2012 às 18:38
O QUE MAIS É INCOERENTE EM SUZANA VIEIRA, É QUE, ELA EXTERNA A VISÃO DE MUNDO E O POSICIONAMENTO POLÍTICO DA BURGUESIA, MAS, SAI NO CARNAVAL DESFILANDO NAS ESCOLAS DE SAMBA, QUE JÁ SABEMOS, SÃO, O CARNAVAL, O SAMBA, E ETC, SIMBOLOS DA CULTURA NEGRA... UM PARADOXO... OU TORPEZA MESMO!?
Comentário de Doris Barros em 25 novembro 2012 às 15:05

Me surpreenderia se caso alguma coisa proveitosa saísse desse "debate". A essa atriz sexagenária oxigenada realmente interessa a existência dos negros, senão quem iria limpar o chão da casa dela, ou inventaria o samba para que o capitalismo pudesse se apropriar e ela desfilar sua beleza(?) desbancando as meninas das comunidades, sentindo-se tal qual uma rainha ou sinhá como sugere a imagem que usaram para ilustrar a matéria? Mostrou sua ignorância sobre as questões sociais e étnicas no Brasil e mesmo que pensasse diferente, não ousaria externar nada que contrariasse a emissora, ou alguém acha que ela iria arriscar a possibilidade de ser banida da globo? 

Comentário de Denilson Carlos Ferreira Lopes em 25 novembro 2012 às 12:02

Maria Isabel (Isa) Soares seu comentário foi simplesmente FANTÀSTICO!!!!!!!

Comentário de Inaê Nanzeazena em 25 novembro 2012 às 10:22

QUEREM TIRAR A COR DE JOAQUIM BARBOSA !

Assisti o programa e ela também fez o comentário de que o importante não é que o ministro seja negro e sim que é competente, ético, etc.etc.

Pois é minha lôra. Mas temos que lembrar sim que ele é NEGRO: Porque:

- Porque as pessoas incomodadas estão fazendo o maior esforço para invisibilizá-lo enquanto negro. Ele é claro por modéstia, para que não percam o foco na limpeza dessa corja que permeia nosso Brasil e porque tem tantos processos para se preocupar

- Ele teve que ser HIPER competente senão, minha lora, teria ficado no caminho como existem muuuuitos outros.

- Ele deve servir sim de exemplo para nossos jovens e crianças, quando o país precisa tanto de ídolos de verdade/ Exemplos positivos.

Tenho dito e assino.

Comentário de Adelson Silva de Brito em 25 novembro 2012 às 8:22

São em oportunidades comos a  acontecida nesse programa que evidenciam o ''mind-set'' da ''burguesia brasileira''. Primeiro, fica explicitado um fato levantado pelo Irmão Alexandre Lopes e pela Irmã Maria Isabel nos seus respectivos comentários os quais se tornam, para mim, peças que se complementam, e em sínteses, expressam um velho ditado: ''o que não me vem a pele não me traz calor'', ou ainda melhor, ''no do outro é refresco''. De Ana Maria Braga ao Jornal Nacional, passando por todo o espectro de A a Z da ''grande mídia'' a ''representação'' da ''sociedad brasileira'' é ''construida'' por uma conjuntura racista eurocentrica, pobre e marcada pela baixa auto-estima. Os discuros são marcados por ''eugenia cabocla'', para a qual o indivíduo ''quase-branco''para ''se elevar'' tem como ''ferrmenta de trabalho'' ''diminuir o negro''. É assim que uma  ''sarará' como Suzana Vieira abra a boca p´ra se ''assumir tacitamente como branca'' e deitar falação sobre ''as pessoas da favela''. Triste Brasil....

Comentário de Maria Isabel (Isa) Soares em 25 novembro 2012 às 3:28

Diz o ditado: quem mora na casa é quem sabe onde a goteira pinga. O resto é conversa fiada.

Comentário de Alexandre Lopes Tomé em 24 novembro 2012 às 23:30

É no mínimo bizarro assistir a esses brancos globais que nunca passaram fome nem tomaram dura de polícia discutindo questão racial. Isso parace a Teoria do Chicote, ou seja: so conhece a dor da porrada quem sempre esteve na ponta do chicote. O resto é pura demagogia.

Comentário de Ivanovitch Medina Santos em 24 novembro 2012 às 16:56

Muito entristece-me o Blog fazer tal promoção com a REDE GLOBO, que nunca respeitou a luta do Movimento Negro; tudo que a REDE GLOBO fizer em tal direção é demagogia; os negros lá nunca tiveram papel relevante e se aderirem às lutas de classe, são demitidos na hora; temos coisas mais sérias a serem discutidas; a única luta que o Blog deveria promover em relação à REDE GLOBO, seria um Brasil sem REDE GLOBO.

Comentário de Flavio M Oliveira em 24 novembro 2012 às 14:50

A Suzana Vieira não faz idéia do tamanho da baboseira que disse quando afirmou que os negros se fazem de vítima.

Jovens negros são assassinados pela polícia sem nunca ter tido uma única oportunidade na vida; situação que constitui um quadro de verdadeiro genocídio devido aos números alarmantes. Além de que as dificuldades de ascensão são bem maiores para um negro em comparação com um branco, e pesquisas já revelaram que negros ganham menos do que brancos dentro da mesma profissão/função. Tudo isso afeta profundamente até aos mais empenhados jovens negros e dificulta demais a ascensão da nossa parcela da população

Eu já não gostava da Globo e de seus "globais" e agora gosto menos ainda !

Translation:

Publicidade

Baixe o App do Correio Nagô na Apple Store.

Correio Nagô - iN4P Inc.

Rádio ONU

Sobre

© 2019   Criado por ERIC ROBERT.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço