Denúncia: Professora negra da USP sofre ofensa racista em restaurante de SP

 

 

 

Docente afirma que o proprietário do restaurante a insultou de acordo com depoimento prestado à 3ª Delegacia da Mulher (Bairro Jaguaré), na última quinta-feira – 14/11

 

A geóloga e docente da Universidade de São Paulo, Adriana Alves estava reunida com amigos no Restaurante Dueto, no dia 08 de agosto, para comemorar seu aniversário. Segundo ela, o dono do bar, o holandês Peter, se aproximou e proferiu palavras grosseiras com o objetivo de manter relações sexuais, ouvidas por ela e por testemunhas que devem ser chamadas para depor.

 

Prevalecendo-se da condição de proprietário do estabelecimento, Peter não se intimidou com as recusas de Adriana e passou a ser cada vez mais inconveniente. Em determinado momento perguntou: “Seus dentes são de verdade? Você se depila nas partes pubianas? Há quanto tempo você não goza gostoso?”. Diante da negativa e enfrentamento de Adriana, disparou: “Seus pelos pubianos devem ser tão duros quanto os da sua cabeça!”.

 

A vítima acredita que a sua condição de mulher negra tenha motivado o assédio. Seu advogado, Daniel Teixeira, concorda: “De acordo com o relato dos fatos, é possível perceber uma conotação nitidamente preconceituosa na atitude do proprietário do restaurante, seja nas palavras que utilizou para abordá-la, seja nas palavras ditas após a professora ter se negado a dar-lhe qualquer atenção”.

 

O pedido de instauração de inquérito foi protocolado pelos advogados do CEERT na 3ª Delegacia de Defesa da Mulher.

Exibições: 83

Comentar

Você precisa ser um membro de Correio Nagô para adicionar comentários!

Entrar em Correio Nagô

Translation:

Publicidade

Baixe o App do Correio Nagô na Apple Store.

Correio Nagô - iN4P Inc.

Rádio ONU

Sobre

© 2019   Criado por ERIC ROBERT.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço