O Movimento Popular Pela Igualdade Étnica\Racial e Pela Representatividade - Não Fazemos Parte do Problema/Somos a Solução, convida esta entidade para construir uma Campanha que viabilize o empossamento definitivo da juiza Luislinda Valois como desembargadora do Estado da Bahia, devido a sua contribuição socio-politica para a população pobre, em especial a população negra. Estamos sugerindo o seguinte slogan:
Está campanha visa fazer justiça a Drª Luislinda Dias de Valois Santos, juíza desde os nove anos de idade, quando confrontou seu Professor de Artes que lhe sentenciou "Menina, se seu pai não pode comprar o material, deixe de estudar e vá aprender a fazer feijoada na casa dos brancos!". Por não ter dinheiro para comprar o material que lhe pedira. A juíza lhe respondeu: "Não vou fazer feijoada pra branco, não. Vou é ser juíza e lhe prender!".
Parte da profecia foi realizada, filha de Iansã, orixá que simboliza a encarnação de tempestades e raios, tornou-se a primeira juíza negra do país em 1984, foi também a primeira juíza a proferir a primeira sentença contra racismo no Brasil, em setembro de 1993, contra um supermercado que foi obrigado a indenizar uma cidadã, acusada injustamente de furto, em pleno "Estado Democrático de Direito".
Negra, Divorciada e com Dreadlocks, um caldeirão para revelar o preconceito e o racismo brasileiro, é um desafio para o satus quo do judiciário.Filha de costureira e de motorneiro de bonde, mãe de filho único, que se tornou promotor de justiça em Sergipe, Dr. Luis Fausto, e avó de dois netos.
Nascida e criada na Bahia, um dia após se formar em Direito inscreveu-se no concurso do Departamento Nacional de Estradas e Rodagens (DNER), para Procuradora do órgão, passou em primeiro lugar, em todo Brasil, mas foi preterida de atuar na Bahia por não possuir padrinhos político sendo então enviada para o Paraná. Após 8 anos retornou a Bahia.
É a idealizadora do Balcão de Justiça e Cidadania, da Justiça Bairro a Bairro, da Justiça Itinerante da Bahia de Todos dos Santos e do Programa Justiça, Escola e Cidadania, sempre buscando garantir que a população negra tenha acesso aos órgãos do judiciário. Por esse trabalho recebeu em 2006 o primeiro Prêmio de Acesso à Justiça. Atua hoje no juizado da Unijorge, implantado por ela.
Possui todos os requisitos para Desembargadora e tem mais de 25 anos de profissão e mais de 50 anos de serviço público, ininterrupto. Dos 35 desembargadores da Bahia, nenhum tem as características e preserva a cultura e religião negra como LUISLINDA.
Meio século depois de sofrer a primeira discriminação racial direta, o que parecia resquício retardado do Brasil escravista, se repete, com a mesma personagem, evidenciando o quanto o país é racista.
Recentemente, em 2009 ao ser homenageada no 20 de novembro, em Salvador, foi barrada pelos seguranças que exigiam dela uma credencial, o infortúnio foi resolvido. Em 2010 novo racismo explicito: um site de caça estrelas a sentencia como camareira de uma artista global, ao vê-la numa foto onde estava sendo homenageada na novela "Viver a Vida" ao lado da brilhante atriz. O site informa: "Natália do Vale enche de mimos a camareira". Estes infortúnios podem ser solucionados, mas a dor não tem cura e deixa cicatrizes permanentes.
Assim, já passou da hora de fazermos justiça e empossá-la desembargadora.

Exibições: 355

Comentar

Você precisa ser um membro de Correio Nagô para adicionar comentários!

Entrar em Correio Nagô

Comentário de Abaetetuba em 2 julho 2011 às 18:13

Empossá-la como Desembargadora é um marco importantíssimo no cenário do Judiciário Brasileiro que vem passando por uma crise de identidade. Tenho a convicção que a contribuição da Execelentíssima Senhora Doutora Luislinda tem muito a contribuir para erradicar a péssima imagem do Poder Judiciário Brasileiro, principalmente no cumprimento do seu papel de Justiça.

Somo as vozes "Doutora Luisilinda, Negra, Mulher, Justa e Competente, o Tribunal precisa de você urgentemente!"

Comentário de EDUARDO PEREIRA em 21 maio 2011 às 9:22
Entendo que o Tj da Bahia deve dar esse passo adiante, escolhendo essa Magistrada para Desembadora. Devemos todos, dentro das nossas possibilidades, já que a escolha de quem vai ser desembargador, é estritamente controlada pelas elites jurídicas nacional, darmos nossas parcelas de contribuição, a fim de que, se possa dar esse passo adiante que, será deveras importante e, não me resta dúvida que, o TJ da Bahia ganhará uma pessoa de grande gabarito jurídico, o que será um ganho para toda a população e, consequentemente para aquela Corte Jurídica.
Comentário de Vanice da Mata em 15 maio 2011 às 5:20
Jorge Eumawilyê Santos, sobre a logomarca para uso nesta campanha, pelo licença e sugiro que seja mantida somente a frase: "Desembargadora, Sim!"  No mais, tudo Ok.
Comentário de cristiane roberta lopesdossantos em 14 maio 2011 às 12:02

A luta Continua companheiras e companheiros a cada instante por Direitos Iguais!!!

A Campanha Desembargadora Sim.Por que não? aconteceu apartir de um evento,lançamento da campanha de combate a violência contra a mulher negra e de salvador,onde a juíza Luislinda Valois era uma das homenagiadas,na câmara de vereadores de Salvador,no final ao comprimenta-la comecei a conversar com a mesma e perguntar quais as formas de discriminações que ela passava na magistratura,muitas pessoas a cercaram também para de certa forma fortalecer a luta,uma delas foi Mauricio Ramos e ao saber que ainda iria ter uma eleição para que ela pudesse ter a oportunidade de se tornar desembargadora da Bahia em 2011,ficamos indignados ,pois sabiamos que seria impossível sem um" Padrinho Político" e falamos que deveriamos mobilizar o movimento social,negro,instituições e todos que pudessem ouvir a nossa voz,num momento de emoção solicitei que ela fosse forte,pois precisariamos desta força para nos manter em equlíbrio para a realização deste sonho.Saimos do espaço prometendo que ela se tornaria Desembargadora  em nome do grande mestre Deus,os Guias espirituais,no qual o machado de Xangô iria  dar a resposta junto com a força dos raios de Iansã,.Juntamos as forças,os partidos,muitas reuniões,Cristiane Santos,Maurício Ramos,Eloina,Ivan Carvalho,empresário e dono do espaço SITOC,local da maioria das reuniões,o CEAFRO e a CUT que também cedeu o espaço, representantes da Associação de Mulheres Koxerê,Intituto Stive Biko, UNEGRO,MNU,SIOBÀ,Forum Bahiano de Juventude Negra,Atitude Qilombola,CEN,Campanha Reaja,FENACAN,ONG Nação Guerreira,CONEM,o Correio Nagô e a Mídia Étinica foram os maiores parceiros para esta construção.

  Ontem Foi o lançamento da Campanha com o espaço cultural da câmara de vereadores lotado,sem a pressença da imprensa Bahiana,exemplo de como somos tratados na cidade mais negra do Brasil,só as estatísticas de extermínio nas periferias que retrata a nossa realidade nas periferias.

  A Drª Luislinda Valois enviou um email informando que não poderia comparecer no lançamento da campanha ,pois estava em uma reunião com autoridades em Brasília, para dialogar sobre a possibilidade de se tornar Desembargadora.Hoje no programa Aprovado falou sobre o curso de serviço social e passou uma entrevista sobre ela, no ar a convidou para fazer uma participação do programa.

  Essas são as respostas que precisavamos!

 

  Obrigada a todose todas que contribuiram para este sonho. A Campanha :Desembargadora Sim Por que não continua pela cidade de Salvador.

 

 

Comentário de JORGE EUMAWILYÊ SANTOS em 11 maio 2011 às 12:02
Companheiros e Companheiras!
Conforme as nossas ultimas reuniões e deliberações, sugiro que em função da exiguidade do tempo faça-se contato com os proprietários da logo abaixo exibida, a fim de que possamos utilizá-la enquanto Marca da Campanha. Ela reresenta o que propusemos em uma das reuniões de construção desse evento. Que se resguarde, neessariamente, todos os Direitos Autorais e de Propiedade Inteletual, se a situação exigir.
Comentário de JORGE EUMAWILYÊ SANTOS em 11 maio 2011 às 11:54
Comentário de JORGE EUMAWILYÊ SANTOS em 11 maio 2011 às 11:53

Convidar entidades é muito pouco para se chegar ao objetivo dessa Campanha. Para que consigamos que o empossamento definitivo da juíza Luislinda Valois como desembargadora do Estado da Bahia se transforme em uma GRANDE REALIDADE, se faz necessário CONVOCAR - e o faço imbuído dos ideais Renascentista, Panafricanista, Socialista e Quilombola - toda a comunidade Soteropolitana, Baiana, Brasileira e Mundial para se fazer presente e ou colaborar conforme seja possível, em face da contribuição sócio-política dessa IRMÃ E COMPANHEIRA para a diminuição das mazelas da população pobre, em especial a população negra da Bahia e do Brasil.

 

Estamos na construção dessa Campanha, a qual será lançada na próxima sexta-feira dia 13 de Maio de 2011 às 17:30, no Centro Cultural da Câmara Municipal da Cidade de São Salvador da Bahia, sito à Praça Municipal, sugerindo a seguinte marca e slogan: PORTANTO, TODAS E TODOS AO LOCAL!!!

 

 

Comentário de Vanice da Mata em 11 maio 2011 às 10:25
Uma grande oportunidade para a Bahia provar que o Estado se respeita.
Comentário de Márcia Maciel dos Reis Oliveira em 10 maio 2011 às 23:03
A juìza Luislinda, merece este titulo de desembargadora, pela sua garra, caragem e perseverança de não desistir de seu objetivo, servindo de exemplo para milhões de pessoas.
Comentário de Arivaldo Silva em 10 maio 2011 às 12:55
A juíza Luislinda Valois tem uma história marcante. Uma verdadeira lição de vida. Como magistrada atuante, ela é capacitada para ser a mais nova desembargadora baiana, porque não? Acredito que a vitória da dra. Luislinda representa muito para levantar a auto-estima e trazer maior visibilidade ao povo negro brasileiro. SIM, você pode chegar onde quiser Luislinda!

© 2017   Criado por ERIC ROBERT.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço