Entrevista exclusiva com a yalorixá Jaciara Ribeiro

O Portal Omidùdú continua na luta contra o cônsul do Haiti e qualquer manifestação que desrespeite a liberdade religiosa

Por Jaqueline Barreto/ Redação Portal Omi-dùdú

Mulher, negra, carismática e uma eterna lutadora. Esses adjetivos traduzem e caracterizam a líder religiosa Jaciara Ribeiro. Yalorixá do Terreiro Abassá de Ogum, localizado no fim de linha da Lagoa do Abaeté, Salvador-Bahia, ficou conhecida nacionalmente devido a luta travada contra a intolerância religiosa. Em setembro de 1999, a yalorixá Gilda dos Santos, mãe de Jaciara, teve uma foto estampada no Jornal Folha Universal, com uma tarja preta sobre o rosto que dizia: "Macumbeiros e charlatões lesam a vida e bolso de clientes''. Mãe Gilda, como assim era conhecida, devido a publicação, sofreu uma parada cardíaca e faleceu em 21 de janeiro de 2000. Após isso, Jaciara Ribeiro passou a ser a representante do Terreiro Abassá de Ogum e uma lutadora incassável pela de liberdade de culto.
Omidudu: Como você avalia a declaração do cônsul em relação ao Haiti de que o terremoto teria sido causado devido à religião de matriz africana?
Jaciara: Na verdade, foi mais uma demonstração de racismo, de preconceito. Tudo que acontece de ruim é associado ao povo de candomblé. Eu fiquei muito decepcionada ao imaginar como os orixás estão se sentindo. Porque o orixá, transitam entre nós.O orixá também tem sentimentos. Um cônsul apontar o terremoto que matou milhões de pessoas ao culto africano é algo extremamente inadmissível. A constituição brasileira resguarda o direito à liberdade de culto. o povo de candomblé tem sofrido muitas perseguições e essa foi uma que me deixou chocada. O mundo ouviu isso. Vamos ter que reparação? O que vai ser feito para isso ser revertido? Quem vai levantar essa bandeira para mudar essa história? Nós, do candomblé, temos que nos unir para tirar esse cônsul do poder! Porque uma arvore não cai se ninguém for lá podar ou cortar
Eu como yalorixá , como sarcerdotiza, já passei por momentos tristes dentro do Abassá de Ogum. Que foi a casa invadida. O povo de candomblé dizer que minha mãe era charlatã, que roubava a vida de povos e clientes. Ai você ver um cônsul do Haiti falar isso do povo de candomblé. Ele falou uma aberração contra a natureza, que é o orixá. Porque a gente não enxerga só a árvore. O povo de candomblé enxerga várias arvores. Nós não temos problemas com nenhuma religião. Nossa religião agrega. Abre portas.
Conferir entrevista na íntegra em : www.nucleoomidudu.org.br

Exibições: 738

Comentar

Você precisa ser um membro de Correio Nagô para adicionar comentários!

Entrar em Correio Nagô

Translation:

Publicidade

Baixe o App do Correio Nagô na Apple Store.

Correio Nagô - iN4P Inc.

Rádio ONU

Sobre

© 2019   Criado por ERIC ROBERT.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço