Filme Jardim das Folhas Sagradas, de Pola Ribeiro, estréia nesta sexta

Estréia nesta sexta-feira, 04, em Salvador, e em mais sete cidades brasileiras, o filme “Jardim das Folhas Sagradas”, primeiro longa-metragem da carreira do baiano Pola Ribeiro. A produção conta a história do bancário Bonfim (Antônio Godi), um homem negro, bem-sucedido e casado com uma mulher branca e evangélica, mas que mantém uma relação homossexual. 

Um acontecimento trágico provoca transformações no protagonista e, então, ele decide cumprir uma missão que lhe foi dada e funda o terreiro de Ilê Axé Opô Ewê (Casa das Folhas Sagradas).

O filme aborda questões como meio ambiente, preconceito racial, ecologia, conflitos do cotidiano nas cidades e a especulação imobiliária, além de tratar de temas como bissexualidade, intolerância religiosa e preconceitos étnicos. 

O candomblé ganha destaque especial. Em “Jardim das Folhas Sagradas”, filme para o qual foi realizado um extenso trabalho de pesquisa sobre a religião afro-brasileira, são mostrados detalhes da crença e a espiritualidade dos personagens em suas rotinas. 

De acordo com o diretor, a proposta do longa-metragem é abordar o mistério que envolve a cidade de Salvador e o Recôncavo baiano, mostrando os costumes de sua população negra, que, acaba, comumente, sendo retratada de forma rasa. 

“Cada gesto, cada som, cada traje, comida, conceito e religião. A convivência com um mundo que se protegia nos seus fundamentos e que era ao mesmo tempo tratado como invisível pela mídia e pela sociedade, aguçava os meus sentidos”, afirma Pola Ribeiro. 

O elenco conta com, além de Antônio Godi, João Miguel (Estômago (2007) e Melhor Ator no Festival do Rio 2005 por Cinema, Aspirinas e Urubus (2005)), Érico Brás (atualmente no quadro fixo do programa Tapas&Beijos, da TV Globo), Harildo Deda, Evelin Buccheger, Sérgio Guedes e atores do Bando de Teatro Olodum. As cantoras Mariene de Castro e Virgínia Rodrigues fazem participações especiais. 


Confira o trailer aqui

 

Fonte: Cine in Site.

Exibições: 739

Comentar

Você precisa ser um membro de Correio Nagô para adicionar comentários!

Entrar em Correio Nagô

Comentário de Claudinha Feliz! em 7 novembro 2011 às 17:48

Eu fui vi minha MUSA foi maravilhoso parabéns a todos q compõe esse filme!

 

Comentário de anita de jesus costa em 6 novembro 2011 às 13:47

Parabens, Pola Ribeiro, Demorou, Mas Saiu,Ja estava

esperando.Sao Nossas Raizes,isso é realidades da vida..sobre o 

preconceito entre religiaoes, dentro do relacionamento.Falando sobre

as NSABAS..

Comentário de NAPOLEAO em 4 novembro 2011 às 16:01
demorouuuu
Comentário de Thais Zacharias em 4 novembro 2011 às 10:58

Onde consigo ver esse filme em São Paulo, procurei mas não achei onde será exibido

Comentário de Rodolfo Abreu em 4 novembro 2011 às 10:26
Fazer parte deste espaço vem sendo muito importante pós todos que viemos de uma herança de trabalho e de sofrimento não temos nas cidades nenhuma herança material. E de todas as formas tentam apagar nossas manifestações e o pertencimento nos grandes centros. Crescem para o lucro de uma minoria que quer agregar ao trabalho desumano e a condições insalubres a mão de obra desagregada do centro do Rio de Janeiro é mais uma luta que teremos que travar. O desgaste do deslocamento sofrido é de responsabilidade dos Gestores Públicos, e este tem que ser responsabilizados civil e criminalmente pelas suas escolhas de enfrentamento das questões ocupação de trabalho e moradias. Caminho das folhas nos mostra que somos personagens vivos de uma cultura que vem morrendo com a formação das cidades, metrópoles e periferias desestruturadas. A escravidão não acabou e temos a cada dia mais pessoas desestruturadas filhos das sub-condições de vidas dos trabalhadores. O tráfico de entorpecentes e de armas ceifam as vidas ou atuam fechando o ciclo de angustia e sofrimento são poucos os índices de sucesso, pois a falência esta em vou viver para que e quando se perde algo como o parceiro, o lugar de origem, a família falar sobre as folhas pode ser tarde... Agradeço como personagem de tempo, filho do homem aos filhos das mulheres com homens, aos aproveitadores e os aproveitados filhos do chão, que unamos as nossas vozes para influenciar os homens em vida o respeito ao grande pai o chão, não precisamos destruir a diversidade deixem o rio Xingu respeite os povos das florestas repeitem o ciclo das folhas...
Comentário de Luis Bandeira em 4 novembro 2011 às 9:12

VAMOS LÁ DESCENDO TODO MUNDO NÉ ???

EU TÔ APOSTANDO NESTE FILME.CONHENCENDO OS TALENTOS ENVOLVIDOS TEM QUE SER

ESCELENTE, MESMO PORQUE NESTE CALDEIRÃO TEM PORÇÕES DE 02 MARAVILHOSOS  MACUMBEIROS DA ARTE NEGRA BAIANA:POLA E GODY RE,RE,RE...

PAÓ PARA TODOS ENVOLVIDOS NO PROJETO. E AXÉ PARA VIZIBILIDADE DO NOSSO POVO.

Comentário de Claudinha Feliz! em 4 novembro 2011 às 5:32
ESTAREI LÁ JUNTO COM A MUSA BAIANA MARIENE DE CASTRO NA SESSÃO DE 16:30 NO SHOPPING IGUATEMI !

Translation:

Publicidade

Baixe o App do Correio Nagô na Apple Store.

Correio Nagô - iN4P Inc.

Rádio ONU

Sobre

© 2019   Criado por ERIC ROBERT.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço