Jornalista quer mudar Lei Áurea para indenizar proprietários

Nota: matéria veiculada no site www.afropress.com

Rio - A proposta bizarra de mudança da Lei Áurea, para permitir a indenização em dinheiro dos antigos proprietários de escravos por que
teriam sido “lesados no seu direito de posse”, apresentada à Comissão
de Legislação Participativa da Câmara dos Deputados, tem autor com nome
e sobrenome: trata-se do jornalista carioca Eduardo Banks - MTb
31.111/RJ – o mentor da idéia que tomou forma por meio da Associação
que leva o seu nome.

A proposta foi rejeitada – sem discussão - pelo deputado Paulo Pimenta,
do PT, com base no Regimento Interno da Casa, sob um argumento que, na
prática, nega a evidência histórica de que a escravidão foi um negócio
do Estado brasileiro.

“Não há possibilidade nenhuma de caracterizar o ser humano que
realizava trabalhos forçados, em situações deploráveis, na condição de
escravo como propriedade protegida por lei. Dessa forma, a proposta não
será discutida no âmbito desta Casa”, disse Pimenta, parecendo ignorar
que o tráfico e o comércio eram negócios regidos por Leis do Estado,
como a Lei dos Sexagenários (Lei Saraiva/Cotegipe - 3270 de 1.885) que
fixava preços dos escravos em valores, sempre 25% menores para as
mulheres.

Nesta sexta-feira, Afropress localizou, no Rio, o jornalista autor da
proposta bizarra, para quem “os negros que aproveitem a liberdade
prevista na Lei, porém, o Estado deve pagar a conta”. O argumento é o
mesmo defendido por fazendeiros nos meses que antecederam à Abolição e
ressurge depois de 122 anos de vigência da Lei Áurea.

Movimento pela reparação negra

Nos anos 90 ganhou força o Movimento pelas Reparações dos
Afrodescendentes (MPR), que teve entre os seus líderes o jornalista
baiano Fernando Conceição. O movimento propunha que o Governo
indenizasse os 70 milhões de afrodescendentes brasileiros pelo crime
dos 350 anos de escravidão. Cada um receberia R$ 102 mil reais, à
época.

Lembrava-se que os judeus foram indenizados em milhões de dólares pela
Alemanha por terem sobrevivido a sete anos sob o nazismo.

Queima dos arquivos

O movimento para indenizar fazendeiros e senhores de escravos teria
sido, segundo os defensores do então ministro da Fazenda, Rui Barbosa,
em 1.891, já na República, o motivo determinante para a queima dos
arquivos da escravidão.

“Nada tenho contra os direitos dos negros. Quero apenas o
reconhecimento dos direitos dos proprietários. O Estado de S. Paulo,
por exemplo, foi arruinado pela Lei Áurea, porque ela aconteceu
exatamente no período da colheita do café. Houve um prejuízo enorme dos
produtores de café de S. Paulo. Seria a mesma coisa hoje que o Governo
mandar queimar todas as plantações de soja”, afirmou Banks, por
telefone, com ar sério de quem pretende recolocar o tema no debate
público.

Ele protestou contra a decisão de Pimenta de arquivar a proposta sem
debate na Comissão e disse que insistirá na defesa da idéia. “Não nos
foi dado o direito sequer de tentar defender nosso ponto de vista”.

Associação

Banks é o idealizador da insólita Associação que leva o seu próprio
nome responsável pela apresentação da proposta em nome de Waldemar
Annunciação Borges de Medeiros, que ocupa a presidência.

Trata-se de uma associação civil, sem fins lucrativos, com inscrição no
Registro Civil de Pessoas Jurídicas do Rio de Janeiro, sob o número
227.020 e inscrita no CNPJ sob o nº 09.296.442/0001-00 e sede
provisória na capital carioca.

Segundo ele, o quadro social da entidade – que funciona numa antiga
casa no espólio do avô – tem composição pluralista, com pessoas de
todas as religiões. “O atual presidente é umbandista, assim como outros
cinco fundadores. Há católicos, um adventista do sétimo dia, um
kardecista e também um Rosa Cruz”, acrescentou.

Projeto de Lei

Definindo-se como “técnicamente católico (batizado e crismado”,
“Niilista positivo e Ativo e discípulo de Nietzsche – o filósofo alemão
Friedrich Wilhelm Nietzsche (844-1900) – Banks disse que vai insistir na proposta e vai procurar
outros deputados componentes da CLP e pedir que recorram ao plenário.
“Se não obtivermos resultado por essa via, procuraremos algum deputado
federal ou senador que aceite encampar a iniciativa, e aprsente em nome
próprio o mesmo texto, na forma de Projeto de Lei Ordinária perante
alguma das Casas Legislativas do Congresso Nacional”, finalizou.

Fonte: Afropress
http://www.afropress.com/noticiasLer.asp?id=2183

Exibições: 280

Comentar

Você precisa ser um membro de Correio Nagô para adicionar comentários!

Entrar em Correio Nagô

Comentário de theodorico barbosa magalhaes em 18 maio 2010 às 11:09
Eu não concordo com nada disso, nenhum Brasileiro deve nada a descedentes de escrvos, se alguem deve pagar por algo, que se busque os reais escravagistas, que eram negros Africanos e gananciosos Europeus. Por sinal visões erroneas como as atuais, não se dão conta de que ainda somos escravos e que lutar por cotas só fortalece instituições escravagistas como Rede Globo e outras.
Devemos lutar pelo cumprimento da constituição nacional, como um povo unido e consiente, pois ao assumir a nessecidade de cotas e direitos escusos, criamos uma falsa realidade que afirma e
sugere uma acefaléia e incompetencia da raça Negera perante os pseudos brancos Brasileiros.
Não devemos ficar aqui tentando tapar o Sol com peneira. Theodorico
Comentário de davi santana em 7 maio 2010 às 12:43
Ser. Banks eu quero a minha indenização. Sou NEGRO
Comentário de marcos pedro brito nascimento em 5 maio 2010 às 10:43
SE ESSE JORNALISTA ESTAR TÃO INCOMOCADO ASSIM PQ ELE MESMO Ñ OS INDENIZAM. SE ELE ACHA TÃO INJUSTA A LEI ÁURIA ENTÃO ELE TIRE DO PROPIO BOLSO ESSA INDENIZAÇÃO. ASSIM ELE PODERÁ MOSTRAR A SUA REVOLTA .+ Q SUGEITO + IDIOTA
Comentário de Naldinho Delicia em 4 maio 2010 às 22:06
Pelo sofrimento de 7 anos de massacre os 6 milhões de judeus receberam milhões de idenização, tem algum contador, matematico ou economista que possa calcular a idenização devida aos mais de 300 anos de escravidão sofrida pelos negros sequestrados da África?
Não proponho o ódio mas, o que pedimos em reparação é irrisório nas ações afirmativas. Porém devo admitir que ja tem melhorado muito para os negros "letrados e perigosos". No gueto é que não muda muito.
Comentário de Elias em 3 maio 2010 às 21:30
Bom este verme esta querendo pirotecnia, esta se sentindo gente, mas cedo ou tarde vai se afundar no mesmo excremento de onde saiu. Ki Oluwa ojù àwa gbogbo.
Comentário de Pedro Batista Barbosa Filho em 3 maio 2010 às 18:49
Eu pergunto? é piada ou insanidade mesmo? Acontece que é verdade e aceita por algumas pessoas sem nenhum compromisso com a história e orpotunistas de plantão, verdadeiros herdeiros dos senhores de escravos, que hoje compoem este bando de idiotas formadores da base da elite brasileira.
Comentário de Hamilton Lara em 3 maio 2010 às 18:49
Irmãos e Irmãs de nosso Brasil chega de dar luz ao Diabo Banks, devemos deixar nas trevas européias do RACISTAS DE PLANTÃO! Nossa hora está chegando e nós Podemos! Hamilton Lara/RS
Comentário de José Carlos Ngão em 3 maio 2010 às 14:16
Quem tem que ser idenizado são os descendesntes de escravos por trabalhos forçados, insalubres, etc.
Comentário de Walmir França em 3 maio 2010 às 0:53
Estamos chegando perto de conquistar o poder, estas bestas aparecerão em profusão,temos que combater este tipo de ação no nascedouro com toda energia disponivel e não podemos ficar estarrecidos pois vem mais coisas por aí...o racismo brasileiro é assim "quando sabemos as perguntas eles(o sistema) mudam as respostas.
Comentário de Elizabeth carneiro em 2 maio 2010 às 21:55
Quando a algum tempo passado alguem disse que o povo do Brasil nao sabia votar e muitos não gostaram esta confirmado agora mais uma vez: Nao sabemos mesmo.
Em pleno ano de 2010 aparece um ser irracional como esse Eduardo Banks com ideias de pessoa que nao tem amor em sua Terra e no lugar de massa cinzenta tem R$ para envergonhar um povo já tão sofrido com atitudes de politicos sem moral que só pensam em si mesmos.Bem que podiamos ter praças e troncos para esse tipo nojento de ser que se intitula HUMANO,

Translation:

Publicidade

Baixe o App do Correio Nagô na Apple Store.

Correio Nagô - iN4P Inc.

Rádio ONU

Sobre

© 2019   Criado por ERIC ROBERT.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço