Por Eduardo Machado* 

O documentário Sabotage - o Maestro do Canão é , concomitantemente, a imortalização e a própria ressurgência de Mauro Mateus dos Santos. Em 1h e 47m discorrido em cenas compostas por lembranças de achegadxs e do próprio maestro, atuando na cena como na realidade. Sabotage expõe corpo e mente assumindo a cena sempre um passo à frente e demostrando o porquê de depois da trágica morte, ter se tornado LENDA do Rap Nacional... do Mundo. O longa é uma filmografia perfeita do rapper marcada por diversas entrevistas, dentre as dos familiares, produtores, cineastas e jornalista, também conta com o depoimento de 'grandes' ícones do Rap e da Música Popular Brasileira. Estar sendo exibido, gratuitamente, no espaço Itau, cine Grauber Rocha, às 19hs.
A favela é o reflexo de si próprio e, o rap: a alma. As vivência nas quebradas do Canão zona sul-SP, possibilitou ´incutir nas mensagens, não apenas letras ritmadas, mas algo muito mais profundo, real e verdadeiro: a realização de dar voz à quem não tem vez. Cresceu como a maioria dos jovens pretos no BRASIL: cercado por um turbilhão de problemas; resistindo a cada dia das mazelas socias; e esquivando-se das 'baixas' nas trincheiras. A malícia, a família, as vivências em ocupações, morro e 'orla', junto com o RAP, permitiu vencer por ser e merecer, pois sabia do compromisso e da dimensão de verbalizar pelxs Irmãs(ãos).
Com toda desvantagem, Sabotage caminhou humildemente à eternidade e ontem foi lembrado não como um das mais de 56 mil pessoas assassinadas por ano no Brasil, segundo dados do Mapa da Violência 2014. E, sim com um Preto combativo, a referência, o "Preto dos Pretos"! Sabotava tudo: flow, rima, metrica e letra, nada pela metade! Além de marcar a música negra do inicio do século XXI, Sabotage continua inovador, desbravador dos palcos das vidas, andarilho, 'caçador de uma flecha só' e mente afoita.

Como disse o poeta Sergio Vaz, "Sabotage desfez o compromisso, seguiu de viajem e foi cantar em um outro lugar, um Bom Lugar!", Sem dúvidas, mas não nos acostumamos ainda com esta lacuna mesmo com todo dinamismo e diversidade existente, o 'Hino do Compromisso' estar cada vez mais baixo! Valeu Sabotage pela visita, você é sempre bem vindo e mais uma vez o seu conselho vou seguir e, "a minha parte, não vou fazer pela metade!".

Eduardo Machado é Jornalista e Educomunicador na Cipó Comunicação Interativa

Exibições: 26

Comentar

Você precisa ser um membro de Correio Nagô para adicionar comentários!

Entrar em Correio Nagô

Translation:

Publicidade

Baixe o App do Correio Nagô na Apple Store.

Correio Nagô - iN4P Inc.

Rádio ONU

Sobre

© 2019   Criado por ERIC ROBERT.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço