No Japão o transporte, prima pela responsabilidade e respeito ao usuário

 

*大変お待たせしまし

Ou Em português– Desculpe por ter feito esperar!

Essa é a frase repetida pelo sistema interno de alto-falantes instalados em ônibus e trens japoneses e repetidas exaustivamente a cada parada. O detalhe é o seguinte: Esses veículos de transporte público estão sempre em ponto. A repetição do pedido de desculpas é uma característica do povo japonês com base na sua filosofia de que o dinheiro do público é ganho a custa de seu suor e por isso merece respeito. Você olha no seu relógio e vê, por exemplo, que são 12h43min, em seguida você pega o guia de horários de trens e vê que o próximo trem entre Hamamatsu, Shizuoka (estação ferroviária da cidade onde morei por 12 anos dos 15 anos que permaneci no Japão) e a cidade de Toyohashi, na vizinha província de Aichi, sai as 13h02min minutos. Se você já está na estação dirija-se a plataforma de embarque e boa viagem. Mas se você está a 15 minutos da estação, já se prepare para pegar o próximo trem, que sai às 13h32min. O trem das 13:02 minutos sai as 13:02 minutos: Nem antes e nem depois. O nome dessa atitude é respeito pelo dinheiro público.   

O transporte público que usamos é pago, e pela carga de impostos que nos é cobrada o mínimo o que deveríamos ter, é o respeito pelo imposto que nos é cobrado retribuído na forma de serviços de infraestrutura de qualidade: Educação, Saúde, Transporte e Segurança.

Por que a gente acha graça no estado da construção do metro de Salvador? O que é que tem de engraçado uma obra de custo bilionário ser dilapidada e sucateada pela ganância criminosa de indivíduos que desservem a tudo que se possa classificar sobre a face da terra, andam impunes a torto e a direito tomando como aval a ingenuidade do povo que os elegem?

  No Japão é inconcebível que um jovem, um idoso, ou qualquer cidadão ou cidadã seja assassinado enquanto se dirige ou volta do seu trabalho por conta da figura descontrolada do crime patrocinado pelo descaso e pela corrupção corporativa instalada nas instancias de poder.

No Japão existe uma das malhas ferroviários mais eficazes do mundo do mundo. A rede JR (Japan Railways) é o sistema ferroviário nacional, e é muito extensa, embora existam alguns menores detidos por empresas privadas, também. A JR opera vários tipos de trens, como o Shinkansen (Trem bala), que é o mais popular e mais rápido, rodando a 300 quilômetros por hora, a Nozomi e Mizuho (mesmo tipo do Snhikansen), ​​que operam principalmente nas ilhas de Honshu e Kyushu, respectivamente, e parar somente em grandes cidades, a Hikari( que em japones significa “Luz) e Sakura, e Kodama (que significa “Eco”, repetição do som) e Tsubame, que param em todas as estações.Algumas das ferrovias operam 24 horas por dia, mesmo oferecendo viagens durante a noite, mas a maioria não, geralmente param à meia-noite. Os horários de trem pode ser encontrado em todas as estações de trem, e também estão disponíveis em grandes hotéis.

Bilheterias pode ser encontrada nas principais estações de trem, onde os bilhetes podem ser comprados a partir de empregados ferroviários. Há também a opção de comprar bilhetes de trem através de uma máquina, que é mais popular e considerado mais eficiente, embora a maioria das máquinas só oferecem instruções em japonês.
Se você quiser fazer uso deste meio de transporte, recomenda-se que você tcompra um Japan Rail Pass, que permite que você viaje em quase todos os trens da rede JR quantas vezes quiser dentro de um determinado período. Reservas de assento pode ser realizada no gabinete JR em todas as principais estações, assim como na internet.

Quanto aos ônibus, há tanto intermunicipais como  de longa distância e voce pode viajar muitas vezes viajando durante a noite e oferecendo mais espaço para as pernas, embora estes sejam naturalmente, mais lentos do que o Shinkansen.  

Conseguir um táxi é também uma opção, já que táxis abundam por todo o Japão, e são completamente seguros. Não existe assaltos a motoristas de taxis. Se você está acostumado a abrir e fechar a porta do passageiro de um táxi em seu próprio país, você pode querer abster-se de fazê-lo, já que o motorista pode fazer isso automaticamente no Japão.

No nosso Brasil, nas instâncias reguladoras tudo é negociado a revelia e as costas do cidadão comum, último, a saber, como “maridos/esposas traídos/traídas” em que o poder constituído os transformou ao assistir impotentes ao enriquecimento ilícito de indivíduos que supostamente compõem as instancias de salvaguarda das liberdades individuais dentro do “regime democrático”. E na sequência dessa farra de imoralidades, profissionais liberais são “incendiados” dentro dos seus consultórios por bandidos disfarçados de clientes. Mulheres são estupradas, recebendo nas suas respectivas estruturas emocionais as marcas indeléveis da irresponsabilidade institucionalizada, pois, de fato muda, haja vista que as autoridades estão muito ocupadas em suas negociações que resultam em um sistema de transporte que “serve” ao cidadão com base em objetivos estranhos ao seu bem-estar.   

Será que nós brasileiros já estamos entendendo que essa história de deixar que a corrupção e incompetência dirijam os destinos da sua vida básica não é normal, e não tem nada de engraçado e por isso não pode ser tema apenas de “programas de humor”?

 

*A pronúncia japonesa da frase é  Taihen omatase shimashita


Referecias:

 

1.       Visit Kumamoto; Dsiponível em: http://www.visitkumamoto.com/Public-Transport-In-Japan  (acessado em: 18/06/2013);

2.      
Transport in Japan; http://en.wikipedia.org/wiki/Transport_in_Japan (acessado em: 18/06/2013);

3.       Imagem: http://beaverinjapan.wordpress.com/category/tourism/ (acessado em: 18/06/2013);

 

Exibições: 845

Comentar

Você precisa ser um membro de Correio Nagô para adicionar comentários!

Entrar em Correio Nagô

© 2017   Criado por ERIC ROBERT.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço