Piauí - Isabel Ferreira exalta teatro angolano no Brasil

A escritora angolana Isabel Ferreira destacou em Piaui, Brasil, o trabalho abnegado dos grupos de teatro em Luanda, que mesmo em condições adversas mostram obras dignas de realce.

A escritora fez esta apreciação quando proferia, há dias, a sua conferência sobre os Trilhos do Teatro angolano, durante o X Salão Internacional do Livro do Piaui (SALIPI) que termina a 17 deste mês em Teresinha, Brasil.

Numa conferência que registou a participação de estudantes universitários, catedráticos do mundo e escritores de Portugal, Cuba, Angola, Brasil, entre outros, Isabel Ferreira recorreu aos feitos da rainha Ginga M,bandi, realçando ter sido "uma grande mulher" à qual as actrizes angolanas deviam ter como um exemplo de luta pela sua carreira.

No final, a escritora Isabel Ferreira, que levou material oferecido pela Delegação Provincial da Cultura, apresentou o documentário dos 30 anos de independência de Angola, que provocou reacções emotivas dos presentes, com destaque à ovação da plateia de 750 pessoas quando viram as imagens de Agostinho Neto por ocasião da celebração da independência de Angola.

A luta de um povo que apenas deseja a paz, concórdia e o desenvolvimento do seu país foi notória no documentário de 40 minutos que serviu para informar e esclarecer a muitos que nem sequer conheciam a posição geográfica de Angola.

Ivo Machado, escritor português, e amigo do angolano Manuel Rui Monteiro, ficou satisfeito e felicitou Isabel Ferreira pela exibição do documentário.

"Não conheço Angola, mas estou visivelmente emocionado, vocês de facto têm direito de reconstruir o vosso país em paz" - sublinhou o escritor, que foi secundado pela jurista brasileira Isis Proença, do Estado do Rio de Janeiro, que até lacrimejou, alegando estar comovida com a trajectória do sofrimento do povo angolano.

O presidente da Fundação Quixote, Casio Gomes, e o secretário do Salipi, Wellingtom Soares, parabentearam Angola e um deles socorreu-se a uma expressão do Presidente da República José Eduardo dos Santos, para ampliar a sua denotação: As imagens são muito fortes, de facto Angola não é somente um viveiro de construção, mas também um viveiro para a paz permanente e segura.

Após a conferência, alguns presentes foram referenciados figuras da cultura angolana, tais como o encenador e dramaturgo José Mena Abrantes, como sendo um dos precursores do Teatro em Angola; o actor Paulo Figueira por ter sido um dos suportes do trabalho por Isabel Ferreira.

A escritora aproveitou para informar ao público presente no Salão Internacional do Livro do Piaui sobre o trabalho que Paulo Figueira tem feito a nível do FETU- Festival Teatro Universitário.

Fonte: Agência Angola Press (ANGOP)

Foto: Lília Diniz (Divulgação)

Exibições: 187

Comentar

Você precisa ser um membro de Correio Nagô para adicionar comentários!

Entrar em Correio Nagô

Translation:

Publicidade

Baixe o App do Correio Nagô na Apple Store.

Correio Nagô - iN4P Inc.

Rádio ONU

Sobre

© 2021   Criado por ERIC ROBERT.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço