'Quando me olho no espelho, dói muito', diz baiana que perdeu visão ao ser agredida por PM

Após oito dias, a Polícia Militar  de Salvador abriu um inquérito para apurar a denúncia de agressão de um PM a uma cozinheira, no dia 22 de janeiro, durante o show do Olodum, no Pelourinho. Na ocasião, Almerinda Neves, 34 anos, estava no público do evento quando um dos policiais militares que faziam a segurança no local desferiu golpes de bastão no meio do público e um deles atingiu a cozinheira, que foi socorrida por populares.

Almerinda acordou dois dias depois, após ser transferida do Hospital Geral do Estado para o Hospital do Subúrbio. No hospital ela soube que havia perdido o globo ocular do olho esquerdo.  Em depoimento, a cozinheira contou que ainda está se acostumando a enxergar somente com um dos olhos. "Eu ainda fico em dificuldade, fico vendo embaçado, a claridade ainda incomoda. Muito doloroso", diz. Almerinda conta também sobre a preocupação com o futuro seu e do seu filho de 12 anos. "Eu dependo do meu trabalho para sustentar o meu filho. Só o senhor meu Deus para dizer se poderei voltar a trabalhar ou não", lamenta.

A Polícia Militar informou que 150 agentes trabalhavam no show e que um inquérito foi aberto para investigar o caso. “Vamos verificar efetivamente o policial militar que tenha cometido essa possível infração e, uma vez identificado, abriremos um processo administrativo disciplinar através de nossa Corregedoria. O policial militar, sendo realmente o acusado identificado, será punido disciplinarmente pela PM e pode chegar ser demitido da corporação”, afirma o coordenador de Planejamento de Operações do 18° Batalhão da PM, Adilson Santana.

Agressão ocorreu em show no Pelourinho (Foto: Reprodução/ TV Bahia)

Agressão ocorreu em show no Pelourinho (Foto: Reprodução/ TV Bahia)


Almerinda foi à corregedoria da PM, na Pituba, para solicitar o reconhecimento do agressor. "Após confirmada a autoria do policial agressor, vamos entrar com uma ação cível de danos", explica José Santos Silva, advogado da cozinheira.

"Eu espero que ele pague pelo que fez. Eu sou uma pessoa que trabalho, sempre tive minha vida. Agora dependo de familiares. Então ele vai ter que pagar, até mesmo com indenização. Não sei como vai ficar minha vida daqui para frente. Eu estava muito feliz nesse dia, aí acabou minha felicidade em tristeza. Uma tristeza dolorosa. Quandi me olho no espelho dói muito", conta, emocionada.

Fonte - G1

Exibições: 652

Comentar

Você precisa ser um membro de Correio Nagô para adicionar comentários!

Entrar em Correio Nagô

Comentário de anita de jesus costa em 2 fevereiro 2012 às 16:32

como o povo baiano,pode confiar na segurança da

bahia, agindo dessa forma.?basta te fé q zambi e

os nkisis vao te proteger.

Comentário de TerritórioPrenhas em 1 fevereiro 2012 às 22:47

Você é uma guerreira, uma mulher corajosa. Ninguém pode sentir sua dor, nem sentir pena de você, mas mandar força e garra. Tenho certeza que o Pai Oxala vai continuar cuidando de ti e que Omolu vai trazer a cura, primeiro para a sua alma, que está a abalada, quero dizer que este sofrimento vai servir para dar voz  e coragem para muita gente em Salvador, que está cansada da falta de respeito com o povo, com as pessoas que no corre corre do dia-a-dia são como você sustentam essa cidade, lutam por ela, de sol a sol. Gente que tem o direito de se divertir com segurança, com respeito. Força querida, estou contigo.

Comentário de LEA GOMES em 1 fevereiro 2012 às 11:20

 Mel, Deus nosso pai, continuará dando-lhe forças para mais esta perda. Conhecedora do seu bom caráter testemunha de suas lutas, uma mãe dedicada, presente na educação, na formação de seu filho, uma boa mãe, boa filha, boa irmã... Mulher guerreira, sonhadora, com certeza vencerá mais esta guerra. A justiça tem que ser feita.

Não podem ficar impune estes marginais fardados destruidores de sonhos, que se escondem atrás das fardas para cometerem crimes. Lastimoso também é saber que seres como estes, sem escrúpulos, malfazejos, malévolos, sujam a reputação de outras pessoas providas de caráter, de boa índole e ética profissional e por fazer parte de uma mesma corporação ou de uma mesma secretaria tem a reputação manchada e que infelizmente passa a ser vista tal qual peste! Porém, da mesma forma que no lixo nasce flores, no jardim também tem lamas.

Melhoras pra você.

 

Um abraço.

Comentário de Instituto Mídia Étnica em 1 fevereiro 2012 às 11:13

Foto da agredida

Comentário de Adailton Poesia em 31 janeiro 2012 às 23:05

É MUITO TRISTE ESSA SINTUAÇÃO, O OLODUM SE PREPARA O ANO TODO PRA FAZER UM FESTIVAL DE SUCESSO E ACONTECE UMAS COISAS DESSAS COM O NOSSO POVO NEGRO, VINDO DE UM POLICIAL NEGRO QUE EM VEZ DE NOS PROTEGER, NOS ESPANCAM, NOS HUMILHAM E NOS MATAM. ESSE INDIVÍDUO TEM QUE PERDER A FARDA DA POLÍCIA E O ESTADO TEM QUE ARCAR COM AS CONSEQUNECIAS

CAUSADAS NESSA SENHORA, ELA TEM QUE SER INDENIZADA PELO RESTO DA VIDA. OS COMANDANTES DA NOSSA POLÍCIA TEM QUE FAZER UM TRABALHO DE CONSCIENTIZAÇÃO COM OS SEUS SUBORDINADOS PARA QUE ELES NÃO CHEGUEM NOS EVENTOS DO POVO NRGRO BATENDO A TORTA E A DIREITA E CAUSANDO ESSES TIPOS DE DANOS. PORQUE ELES NÃO AGEM ASSIM NOS EVENTOS DOS BRANCOS? ELES TEEM MEDO DO QUÊ? DEPOIS AINDA TEM UM BANDO DE IDIOTAS DEZENDO QUE A CULPA É DO OLODUM. FALA SÉRIO!

Comentário de Eduardo César QUISSOCA em 31 janeiro 2012 às 17:49

O meu coração pulsa descompassadamente. Isto era previsível. Infelizmente. Agora, realmente, qual é o perfil real de um PM? Você não sabe?  Vou lhe dizer: é um bandido disfarçado,  um criminoso mascarado,  em roupa de carnaval. Isto não é segredo nenhum. São Bandidos, criminosos  frustrados  que ingressam naquela corporação infernal para matar a vontade, para desfigurar  sem piedade, para estuprar e  para humilhar. Por onde passa o Animal sedento de sangue,  a morte estabelece  seus quartéis. Os PM’s são seres fortemente animalizados e dotados com um alto potencialidade  de predação.  O “ bicho” que eles procuram na maioria dos casos é  o Negro: Por incrível que pareça, o PM caça e mata o Negro para dele alimentar-se. É a lei básica da Selva, uma lei  muito simples que é: Negro, eu te mato e depois,  eu estupro a tua mulher. Nos bastidores da PM eu ouvi dizer um dia, e isto saindo da boca de um alto fardado, os seguintes palavrões: Sendo nos O Braço Armado, O Ferro da lança do governo,  asseguramo-nos de beneficiar de toda a impunidade enquanto  caminhemos  de mãos dadas com este governo impiedoso que sempre precisa de nos para finalizar o  trabalho sujo das sombras que é o extermínio dos  Negros. Asseverou ainda mais: Se não tivermos conseguido erradicar esses Negros da superfície da terra dos valiosos bandeirantes do Brasil  (que na realidade,  eram cambadas de bandidos cruéis e sanguinários, que saqueavam aldeias indígenas, matando crianças, violentando mulheres e escravizando os índios), vamos agora acabar com os Negros usando a nossa força (animal) e o nosso instinto (bestial) desta nova corporação de bandeirantes do Brasil que é a POLICIA MILITAR. Então vamos continuar chorando? Por que? A Luta continua. A Policia Militar?...uma legião de nazistas.

 

 

Comentário de TANIA NUNES em 31 janeiro 2012 às 17:48

Ví a foto dela, dá pena alguma coisa tem que ser feita.

 

Comentário de cristina bispo dos santos em 31 janeiro 2012 às 17:09

fiquei, muito abalada com  argleção  que ocorreu com minha vizinha .Uma mãe,trabalhadora que não tem direito de se diverti .   

Comentário de NAPOLEAO em 31 janeiro 2012 às 14:19

E só em pensar que pagamos esses homens para nos dá segurança, quando estou na rua fico com receio deles, muitas vezes mais até do que dos vagabundos, espero que haja uma preparação maior para esses individuos, Deus proteja todos mesmo viu Rosani Matoso no carnaval.

Comentário de Jandira Catarina Duque Pinto Fon em 31 janeiro 2012 às 13:13

 Um verdadeiro absurdo na Bahia se vê. Cadê  os representantes desse Estado?

Translation:

Publicidade

Baixe o App do Correio Nagô na Apple Store.

Correio Nagô - iN4P Inc.

Rádio ONU

Sobre

© 2019   Criado por ERIC ROBERT.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço