Revoltante: mulher e filhos são impedidos de entrar em shopping center de Fortaleza

Clientes de um shopping, em Fortaleza, flagraram em vídeo o momento em que uma mulher é impedida de entrar no estabelecimento por volta das 14h de sexta-feira (2). Ela estava em companhia de duas crianças. No vídeo, a mulher discute com os seguranças na tentativa de entrar e chega a agredir um deles. Em contato com o G1, a administração do shopping informou que ação dos seguranças foi uma medida preventiva.

O vídeo mostra a mulher tentando forçar a entrada no shopping em meio aos seguranças. Ela está com um bebê em um dos braços e uma outra criança pequena. A senhora passa a gritar com os seguranças e a discussão chama a atenção dos clientes que param para ver o que está acontecendo. Um outro homem vestindo branco se aproxima da mulher e tenta conversar com ela, mas a discussão continua e ele acaba liberando a entrada da mulher com as duas crianças.

A administração do shopping, em nota oficial, informou que “é política do Iguatemi Fortaleza primar pelo bem-estar dos seus clientes”. E que a mulher em questão “esteve envolvida em diversos episódios anteriores, em tentativa de conturbar a rotina dos clientes do shopping, razão pela qual foi necessária a intervenção dos seguranças para preservar a tranquilidade dos clientes e demais frequentadores do shopping”.

Segundo a Polícia Militar e a Polícia Civil, nenhuma ocorrência foi registrada sobre o fato.

Com informações do G1

Veja o vídeo

Exibições: 815

Comentar

Você precisa ser um membro de Correio Nagô para adicionar comentários!

Entrar em Correio Nagô

Comentário de Rodolfo Abreu em 4 dezembro 2011 às 22:57

Este é o preço da especulação imobiliária no Brasil, este é o preço da omissão de nossos aposentados de não fazerem juntos uma fiscalização na Câmara dos Deputados, estamos sendo saqueados e vivendo como ladrões, todos querem dinheiro, mais não veem, que é o "Lobo contra Leões" os Leões tem vencido em virtude disso que somos obrigados a nos organizar! É que nos faz fraco, nos torna fortes, fazer o algoz se vê. Quem bate em professor, quem não tem identidade, quem trabalha até morrer, quem tem o serviço publico como referência para emprego e só fica com cargos subalternos. São este que procuro, por que sou um deste que não se via mais tinha valores morais e éticos. Tinha que dar o exemplo, que é possível trabalhar com segurança quando se tem uma base a vontade de fazer publico, os serviços públicos para o público é mentira e eu acreditava, pago caro por não ter estrutura nem para trabalhador eles respeitam. Se não houver uma ação social estamos mais perto da exclusão! Pensando de uma ações de cultura temos dois processos distintos um excluído em um processo "Analfabetismo Funcional" em um local de trabalho. O outro completamente excluído sem qualquer auxilio e nos pagamos diretamente para isso. 

http://raquelrolnik.wordpress.com/

Rodolfo Abreu.

Comentário de Sônia Nazareth Duarte da Cruz em 4 dezembro 2011 às 19:11

Ser pobre no Brasil é defeito.A minha revolta é muito grande,a população assiste e em algumas vezes acha até normal.Vejam a pasmaceira das pessoas que presenciaram o fato.

Comentário de Jandira Catarina Duque Pinto Fon em 4 dezembro 2011 às 13:45

 É um absurdo o que se vê ainda neste Brasil Varonil. a própria população não reage só assisti episódios como este. Deixasse ser uma senhora bem vestida com babás fardadas, que muita gente opinava  sobre as ações dos seguranças.! Tenham reações cearenses precisamos de um país mais justo e digno em que haja respeito a todos.

Comentário de Walter Rui Pinheiro em 4 dezembro 2011 às 12:58

Sinceramente é inacreditável que várias pessoas presenciem esse tipo de atrocidade e não se manisfestem, espero que apareça instituições de Direitos Humanos e/ou Outras, para buscar impetrar ações judiciais contra esse estabelecimento comercial e seus funcionários ignorantes de Pai e Mãe. 

Comentário de Instituto Mídia Étnica em 3 dezembro 2011 às 22:56

Confira relato da pessoa que gravou e postou no YouTube

Esta senhora com seus filhos chega a ficar no chão(se foi derrubada não sei, ela estava caída, e não estava sentada na porta pedindo esmolas na entrada, tentava entrar), com suas duas crianças, inclusive uma ficou chorando. O seguranças barraram a mesma por ela parecer pobre?(acho eu, mas quem sou eu para afirmar, só filmei). Outro segurança me fala que ela costumava solicitar ajuda no Extra. Na minha opinião eles não deveriam barrá-la, pois não é proibido entrar no iguatemi (ou qualquer shopping), pois entrar não viola lei. Se ela tem o costume de pedir, então o segurança poderia, até mesmo de forma discreta, advertí-la para não importunar os transeuntes. Mas não usar de força extrema, e logo com crianças por perto. É uma situação difícil. Também... Dar quem quer, e acho que, se houver lei proibindo(deve haver algo similar), ela deve ser esclarecida, e quem sabe receber um emprego do Iguatemi(serviços de acordo com suas habilidades), ele arrecada tanto com estacionamento, etc... Poderia fazer uma obra social e abater no seu imposto(só uma sugestão pessoal e minha somente).

Mandei para algumas tvs do Ceará, me disseram que algumas tem medo do Tasso Jereissate(Ex-Gov), mas o youtube não. Inclusive disseram-me que a TV jangadeiro jamais passaria, pois o Tasso tem ações na mesma, ou é dono. Bom independente do que os outros digam, a Internet não tem dono. Filmem e espalhem seus vídeos que possam ajudar as pessoas a respeitarem melhor seus semelhantes. É assim que o Brasil melhora.


Antes de eu começar as gravar, tinha um segurança quase "rolando" com ela no chão da porta, só se vê a mesma se levantando, foi após isso que eu gravei. Ela agrediu o segurança, segundo ela, em reposta a agressão deles, que foi a de fisicamente barrá-la, dá para ouvir ela explicando...Ela chega a entrar e circular normalmente. A área é próxima a do papai noel, distante do extra. Não posso dizer que ela iria pedir ou não. Não a conheço, só gravei.

Só acho que em minha opinião, e eu disse isto ao segurança, que eles deveria evitar o "barraco" de um forma mais amena, como? Conversando com ela sem fazer alarde, e explicar as regras do shopping. Outro vacilo é que: Ela pode adentrar ao shopping, não existe ordem judicial proibindo-a, e se ela fosse agir como pedinte, aí sim eles poderiam advertí-la segundo as regras do shopping. Na verdade nem defendo um, nem outro, mas condeno o vacilo em não ter evitado o tumulto, além do fato de que é condenável uso de força física desnecessária(poderia machucar a criança). Julguem vocês. Só relatei o que vi e ouvi, se é verdade ou não analisem! Paz!



P.S.
Uma senhora toda "chique" (de uns 65 anos pelo menos), se aproximou de mim, tomou meu celular e disse: "Você não vai publicar isso na Internet !", rapidamente o peguei de volta e disse: "O Celular é meu e já que a senhora é tão correta, se esqueceu de que não poderia me tocar ou me agredir..." Ela envergonhada foi falar com uns caras parecidos com "ricos" alinhados e da família. Acho que ela deve ser conhecida ou parente dos donos do Iguatemi, para tomar as dores. Talvez o netinho dela mostre para ela, este vídeo.

Também não condeno ricos ou pobres, mas somente dou força de expressão as palavras. Tenho amigos rico e super pobres, ou financeiramente ou de espiríto.

Translation:

Publicidade

Baixe o App do Correio Nagô na Apple Store.

Correio Nagô - iN4P Inc.

Rádio ONU

Sobre

© 2021   Criado por ERIC ROBERT.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço