RIO+20: Cultura Digital Indígena na Cúpula dos Povos

Representantes da Rede de Cultura Digital Indígena fizeram uma coletiva na tenda de imprensa na Cúpula dos Povos. O diálogo com os jornalistas e comunicadores durou em torno de uma hora. Eles expuseram como é que acontecem as mobilizações das diversas tribos indígenas com o uso da internet, através das redes sociais Twitter e Facebook, e a utilização de softwares livres, como Wordpress e Ubuntu.

Os ativistas contaram que essas ferramentas ajudam a aproximar as comunidades indígenas, a tecnologia serve para aproximar quem esta distante, e ajuda muito nas articulações de ativismo, pois a rede é toda construída virtualmente. "A importância da Cúpula dos Povos é imensa, pois é daqui que vão sair as verdadeiros demandas. Somos nós, índios, que sabemos cultivar a natureza, os movimentos que estão aqui é que vão decidir o verdadeiro futuro do planeta", cita um dos indigenas, em relação ao tema principal do encontro: sustentabilidade.

Preconceito - Uma das representantes do grupo nasceu em uma tribo indígena do Oiapoque, e com 5 anos de Idade se mudou para a cidade do Rio de Janeiro. Ela comentou sobre o preconceito que o carioca tem em não reconhecer outra cultura a não ser a sua própria. Entre os relatos de preconceito, ela citou sobre uma visita que fez a uma favela. Ela estava pintada, assim como é de costume na cultura, e algumas crianças a perguntavam em qual ala de escola de samba ela sairia. Porém o mais chocante aconteceu ontem, 14/06. Ela relata que foi à escola onde a filha estuda, junto a outros três índios, e foram convidados pela direção da escola a se retirarem da escola. Essa atitude mostra o quanto os brasileiros são deseducados, e onde deveriam aprender a respeitar inclusive os verdadeiros donos desta terra.

Curiosidade - Eles ainda explicaram que muitas das palavras utilizadas na cidade do Rio de Janeiro são de origem indígena, como: Macaé, Guanabara, Guaíba e inclusive "carioca", que para quem não sabe, é a junção de "Cari": armadura e "Oca": casa, e como era o "homem branco" quem vivia de armadura, "Carioca", enfim, significa "Casa de Homem Branco", conforme informação do Wikipédia: http://pt.wikipedia.org/wiki/Carioca_%28gent%C3%ADlico%29


Texto e foto: Enderson Araújo, correspondente do Correio Nagô, direto do Rio de Janeiro.

Exibições: 300

Comentar

Você precisa ser um membro de Correio Nagô para adicionar comentários!

Entrar em Correio Nagô

Comentário de nivaldo pereira em 16 junho 2012 às 13:46

OI ROKZA STERN, GOSTO DE ALGUMAS CONSIDERAÇÕES QUE FAZ NOS SEUS COMENTÁRIOS, PRINCIPALMENTE NO INÍCIO DESSE COMENTÁRIO, PORÉM TEM ALGUMAS CONSIDERAÇÕES QUE PRECISAM SER MAIS APROFUNDADAS, POIS, DEVERIA DIZER QUE OS ITALIANOS E OS JAPONESES TIVERAM TODA ATENÇÃO DO ESTADO BRASILEIRO PARA DESENVOLVER A AGRICULTURA, DIFERENTEMENTE DOS NEGROS QUE FORAM OBRIGADOS A TRABALHAREM COMO BICHOS SEM DIREITO A NADA PRATICAMENTE. DIZER TAMBÉM QUE OS INDIOS NÃO SERVIAM PARA SER ESCRAVIZADOS E POR ISSO OU NÃO SE PERMITIRAM SEREM ESCRAVIZADOS? E POR QUE SE TUDO QUE TEMOS EM TERMOS DE AGRICULTURA DEVEMOS AO NEGRO, ENTÃO POR QUE AO INVÉS DO ESTADO BRASILEIRO IMPORTAR MÃO DE OBRA ESTRANGEIRA NÃO APROVEITOU A MÃO DE OBRA DOS NEGROS, REPARANDO A CRUELDADE DOS COLONIZADORES E DO IMPÉRIO EM NOME DE DEUS. PODE EXPLICAR ESSA DISTORÇÃO?

Translation:

Publicidade

Baixe o App do Correio Nagô na Apple Store.

Correio Nagô - iN4P Inc.

Rádio ONU

Sobre

© 2021   Criado por ERIC ROBERT.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço