"Será a volta do monstro", diz Gilberto Gil sobre protestos

O cantor baiano Gilberto Gil opinou nesta quarta-feira acerca das manifestações que tem ocorrido no país. No comentário, Gil revelou um misto de preocupação e ânimo.

“Tenho visto, acompanhado, com muita aflição, às vezes, muito susto. Será a volta do monstro daquela época?” — questionou o compositor, referindo-se à violência da repressão policial e à ditadura militar, que o levou ao exílio, em Londres, de 1969 a 1972.

“Na última segunda-feira, eu me senti fragilizado de novo, temeroso de novo. Parecia o dia em que eu fui para a Passeata dos Cem Mil, na Avenida Rio Branco, no dia do meu aniversário, aquele 26 de junho. Fui tomado pelo mesmo temor daquela época, agora em minha casa, acompanhando a TV e as redes sociais, já inserido neste hipertexto, neste hipercontexto”.

“ Mas, num segundo momento, eu me sinto aliviado por ver esta insurgência popular. Me dá indicação de que a transformação, o “Tempo rei” continua rei. Tudo transformando, transcorrendo, as coisas mudando, novas interrogações, novas questões, novas dificuldades analíticas. Eu estava vendo os protestos na TV ontem (terça-feira) e pensando: o que é isso? Essa manifestação junta a rave com o arrastão. São as duas coisas ao mesmo tempo. É a rave-arrastão. Pronto, é um verso, um condensado poético. As novas palavras de ordem juntam ao mesmo tempo a oração e a praga”, complementou.

Gil comentou ainda sobre a necessidade de artistas se manifestarem publicamente.

“No meu caso pessoal, não precisa. Eu fiz isso a vida toda, todo mundo sabe. “É preciso estar atento e forte, não temos tempo de temer a morte!” (cantarolou a música “Divino, Maravilhoso”). O encorajamento esta aí, podem usar! É só entrar no meu site, procurar, a música está aí!”, finalizou.

*Com informações de O Globo

Exibições: 40468

Comentar

Você precisa ser um membro de Correio Nagô para adicionar comentários!

Entrar em Correio Nagô

Comentário de Antonia Conceição Abbamonte em 24 junho 2013 às 23:23

Mojubá

Sorte que minhas N dificuldades com saúde, etc quase nada assisti desses programas de tv, e o que hoje me encanta são os livros de: Exu e a Órdem do Universo, assim como Ogun, e Ifá do Dr Sikiru Salami, fora as aulas, é meu Universo que a todo momento tento mergulhar e sinto que minhas Mães e Babas africanos nunca perdem tempo com as agitações da carente cultura (afastada da Cultura Yorubá) que vive se auto-atropelando, num eterno titubear carente da verdadeira sabedoria dos Orixás que é hiper envolvente, sábia da nossa idolatrada Mãe África

Devo ter sido africana nas outras encarnações, nesta estou procurando me esforçar ao máximo para  não decepcionar, com minha enorme ignorância, nossos sábios mestres que muito se esforçam para termos também acesso à tão preciosos conhecimentos

Mojubá

e que os Orixás nos orientem com muito Axé em nossos caminhos para o entendimento deste verdadeiro e sóbrio modo de vida Yorubá

 Antonia    

Comentário de José Augusto da Conceição Pereir em 24 junho 2013 às 22:20

Penso seja importante a crítica que se faz às Organizações Globo pela prática apontada por Jamahirya, bem assim por outras tantas que, igualmente, se têm revelado de enorme inconveniente para a maior parte da população brasileira.

Contudo, vejo com preocupação a acusação lançada sobre todo um grupo étnico a partir de uma suposição de complô de alguns de seus integrantes contra a população negra.  Um tal discurso em nada se arreda da ideologia nazista que, por seu turno, não é outra coisa senão uma expressão de racismo e, pois, de etnocentrismo.

Estou seguro que não será alimentando o racismo entre nós que enfrentaremos o racismo dos outros.  Mais que isso, afirmo, sem susto, que pretensos antirracismos não têm levado minoria (no sentido sociológico do termo) étnica alguma à vitória frente esta patologia social.  De sorte que, seriamente, desconfio seja o que chamo pós-racismo, o meio mais eficaz de combater este mal.  Neste sentido, convém a leitura do sociólogo britânico (que aliás é negro) Paul Gilroy.

No mais, sugiro - se queremos, nós negros, sermos levados a sério - escaparmos a uma nova queda na crença tola quanto à existência de alguma sorte de Protocolos dos Sábios de Sião.

Comentário de Elisabete B.Pereira em 24 junho 2013 às 16:27

Genserico,

Os artistas durante a ditadura ou fugiam do Brasil ou morriam nos porões torturados, porque eram perseguidos, isso servia para qualquer um inclusive para mulheres grávidas. Estude sobre a ditadura no Brasil para você ter uma noção do foi isso, ok?

Comentário de Genserico em 24 junho 2013 às 14:43

Não foi esse que se exilou como uma tentativa de chamar atenção para si e para seus discos?

Comentário de Adelson Silva de Brito em 24 junho 2013 às 9:27

Parabéns ao Jamahriya pelo levantamento corajoso,por que nós negros ainda não acordamos para essa realidade e assistimos a tudo isso como se nada estivesse acontecendo.

Comentário de JAMAHIRIYA.LIBYA@BOL.COM.BR em 24 junho 2013 às 0:54

 

 A GLOBO ditadura Vandalista da comunicação, leviana ardilosa e racista inimiga do povo brasileiro. No Brasil os judeus monopolizam a TV discriminam e humilham as mulheres negras?A MeGaLOBO RACISMO? A violência do preconceito racial no Brasil personagem(Uma negra boçal degradada pedinte com imagem horrenda destorcida é a Adelaide http://globotv.zorra-total/v/adelaide-e-briti-pedem-dinheiro-no-metro/, do Programa Zorra Total, TV Globo do ator Rodrigo Sant’Anna? Ele para a Globo e aos judeus é engraçado, mas é desgraça para nós negros afros indígenas descendentes, se nossas crianças não tivessem sendo chamadas de Adelaidinha ou filha, neta e sobrinha da ADELAIDE no pior dos sentidos, é BULLIYING infeliz e cruel criado nos laboratórios racistas do PROJAC (abrev. de Projeto Jacarepaguá da Central Globo de Produção) da Rede Globo é dominado por judeus diretores,produtores e apresentadores como Arnaldo Jabor,Carlos Sanderberg,Luciano Huck, Jairo Bouer,Luis Erlanger,Marcos Losekann,Marcius Melhem e Leandro Hassum,Vladimir Brichta,Tiago Leifert, Pedro Bial,William Waack,William Bonner & Fatima Bernardes,Ernesto Paglial & Sandra Annenberg,Mônica Waldvogel,Renata Malkes,Sandra Passarinho,Amora Mautner, Lillian W. Fibe,Esther Jablonski,Glenda Kozlowski,Gilberto Braga,Wolf Maya,Mário Cohen,Ricardo Waddington,Max Gerinder,Mauro Molchansky,Maurício Sirotsky,Michel Bercovitch,Fábio Steinberg,Guilherme Weber,Caio Blinder,Daniel Filho,Gilberto Braga,Walcyr Carrasco,Carlos H. Schroder e o poderoso Ali Kamel diretor chefe responsável e autor do livro Best seller o manual segregador (A Bíblia do racismo,que irônico tem por titulo NÃO SOMOS RACISTA baseado e num monte de inverdades e teses racistas contra os negros afrodescendentes brasileiros)E por Maurício Sherman Nisenbaum(que Grande Otelo, Jamelão e Luis Carlos da Vila chamavam o de racista porque este e o Judeu sionista racista Adolfo Block dono Manchete discriminavam os negros)responsável dirige o humorístico Zorra Total Foi dono  da criação de programas e dos programas infantis apresentados por Xuxa(Luciano Szafir)e Angélica(Luciano Hulk) ambas tendo seus filhos com judeus,apresentadoras descobertas e lançadas por ele no seu pré-conceitos de padrão de beleza e qualidade da Manchete TV dominada por judeus sionistas,este BULLIYING NEGLIGENTE PERVERSO que nem ADOLF HITLER fez aos judeus mas os judeu sionistas da TV GLOBO faz para a população negra afrodescendente brasileira isto ocorre em todo lugar do Brasil para nós não tem graça, esta desgraça de Humor racista criminoso, que humilha crianças é desumano para qualquer sexo, cor, raça, religião, nacionalidade etc. o pior de tudo esta degradação racista constrangedora cruel é patrocinada e apoiada por o Sr Ali KAMEL fascista sionista (marido da judia Patrícia Kogut jornalista do GLOBO que liderou dezenas de judeus artistas intelectuais e empresários dos 113 nomes(Manifesto Contra as contra raciais) defendida  pela radical advogada Procuradora judia Roberta Kaufmann do DEM e PSDB e o Senador Demóstenes Torres que foi cassado por corrupção)TV Globo esta mesma que fez anuncio constante do programa (27ª C.E. arrecada mais de R$ 10,milhões reais de CENTARROS para esmola da farsa e iludir enganando escondendo a divida ao BNDES de mais de 3 bilhões dólares dinheiro publico do Brasil ) que tem com o título ‘A Esperança é o que nos Move’, show do “Criança Esperança”de 2012 celebrará a formação da identidade brasileira a partir da mistura de diferentes etnias) e comete o Genocídio racista imoral contra a maior parte do povo brasileiro é lamentável que os judeus se divirtam com humor e debochem do verdadeiro holocausto afro-indigena brasileiro o Judeu Sergio Groisman em seu Programa Altas Horas e assim no Programa Encontro com a judia Fátima Bernardes riem e se divertem.(A atriz judia Samantha Schmütz em papel de criança um estereótipo desleal e cruel se amedronta diante aquela mulher extremamente feia) para nós negros afros brasileiros a Rede GLOBO promove incentiva preconceitos raciais que humilha e choca o povo brasileiro.Organização Negra Nacional Quilombo ONNQ 20/11/1970 – REQBRA Revolução Quilombolivariana do Brasil - quilombonnq@bol.com.br   

Comentário de Adelson Silva de Brito em 23 junho 2013 às 11:46

Parabéns ao José Augusto da Conceição pela análise madura e balizada da situação. Note-se a insistência dos grupos da "Mídia Oficial" em "restringir" os excessos a obra de "minorias de baderneiros", em uma tentativa tacitamente (pois não precisam anunciar que estão defendendo o seu espaço agora ameaçado pelos "pretos e pobres") camuflada de fragmentar o Movimento iniciado por jovens que não viram Lula se eleger, nem sabem como é que o PT foi para no governo, assim como não sabem como é que foram guindados a posição de "filhos das elites". A "Mídia Oficial" quase tão atônita quanto os políticos, quer pegar carona nessa "Onda", mesmo sem saber aonde vai levar.

Comentário de José Augusto da Conceição Pereir em 23 junho 2013 às 11:15

Parece que a imprensa internacional vem denominando os acontecimentos recentes no Brasil: Primavera Tropical, em nítida alusão aos episódios que vem varrendo governos no mundo islâmico, sob o rótulo de Primavera Árabe.  Contudo, analistas internacionais vêm expressando dificuldade em entender o porquê de um tal fenômeno no Brasil, vez que até agora eventos que tais haviam se passado apenas em países sob governos autoritários.

Acredito, porém, que aquilo a que temos assistido talvez guarde, em seus fundamentos, maior semelhança como movimentos do tipo Occupy Wall Street.  Isto porque a mim parece tratar-se de um "freio de arrumação" da sociedade brasileira.  Algo como aquela freada que o condutor do ônibus dá e que, sacolejando os passageiros, parece por todos no lugar.

Creio que o ingresso da China no que se chama economia de mercado provocou um sensível desarranjo na divisão internacional do trabalho e, via de consequência, de modo direto ou indireto, em quase todas as economias do mundo.  Desdobrando-se, daí, as inúmeras crises econômicas que temos assistido mundo a fora e, partir delas, o sem-número de crises políticas que temos igualmente observado.

Para enfrentar a chamada crise econômica internacional, o governo Lula dedicou-se à ampliação do mercado interno, promovendo o consumo o qual estendeu às classes populares.  Do que resultou o agigantamento da chamada classe C ao ponto de se tornar a classe econômica de maior concentração de ativos.

A partir daí todo o mercado passou a render homenagens "aos pretos e aos pobres".  Novelas, programas e peças publicitárias exibidas nas TVs, evidenciam tal dedicação.  Cenários e logomarcas com cores fortes e elencos de atores e cast de modelos com um número de negros que jamais se viu.

Contudo, como bem observou Marilena Chauí, na página 90 de seu clássico: O que é ideologia, "aquele que explora economicamente só poderá manter seus privilégios se dominar politicamente".  De sorte que a classe média tradicional - que reclamava da presença da nova classe média em espaços que antes eram de exclusivo domínio da daquela; como os saguões dos aeroportos - entendeu de cobrar do Estado o que acredita ser seu por direito, ao mesmo tempo que a classe C cobra do mesmo Estado tratamento digno a seu novo status, isto é, de classe economicamente majoritária no país.  Tratamento que significa rigorosa observância de seus direitos humanos, a saber: vida, segurança, liberdade, propriedade e, no momento presente, sobremaneira, igualdade.  Igualdade na contemplação das verbas públicas.  De sorte a dispor, por exemplo, à semelhança da classe média tradicional, de órgãos de segurança para sua proteção e não para sua repressão; dispor também de serviços públicos, especialmente, de saúde, educação e transporte com a mesma qualidade que hoje se pode definir por "padrão FIFA".

Trata-se, então, do que o jornalista Ricardo Kotscho chamou de Movimento do Saco Cheio.  Cheio de discursos midiáticos vazios e mentirosos os quais se prestam a preservar o status quo, em detrimento da maior parte da população que vive sob massacre.  Discursos que se ouvem nas emissoras das Organizações Globo e do Grupo Bandeirantes; que se lêem nos noticiosos como a Folha de São Paulo e O Globo que se expressam na boca inclusive de negros que funcionam como gate keepers, a exemplo do que são Pelé e Ronaldo Fenômeno.

Claro, esta é apenas a minha peculiar leitura dos fatos.  O que de modo algum significa seja a verdade absoluta.

Forte abraço a todos os debatedores que, seguramente, ao longo do tempo em que participam, como eu, das discussões, aqui, no Correio Nagô, contribuíram para fomentar a indignação que agora se traduz em movimento político de massa.  Sem dúvida, nas ruas ou em casa, pelos computadores ou pelos ouvidos, trabalhamos por este resultado do que agora somos cúmplices.

Comentário de Antonia Conceição Abbamonte em 22 junho 2013 às 23:15

Prezados (as) senhores (as)

Vejo que o Partido da Imprensa Golpista,  (Pig) continua a tergiversar todos os fatos, no governo FHC, não foi Participação Publico Privada, foi verdadeira "doação" da Vale e muitos outros absurdos, não confundir, muito já se discutiu á respeito, quem está ganhando paralisando o país? Para mim está óbvio, armaram muito bem, usaram o Pig de uma maneira tão sábia, que esses remanescentes DO REGIME DA DITADURA  se organizARAM E estão se divertindo`a beça, congestionamentos gigantescos, mídia afastando investidores de nosso "armado" caos, cenário perfeito, e nos bastidores os que torcem para tirarem o brilho das gigantescas realizações do governo Dilma, QUE DIGA-SE DE PASSAGEM É MINHA REPRESENTANTE, COMO DE TODO POVO BRASILEIRO E SENTI VERGONHA  DO GESTO IGNARO DE PESSOAS QUE POR MOMENTOS DE UM ATAQUE DE "ACEFALIA" VAIOU NOSSA REPRESENTANTE, VAIOU

Á NÓS BRASILEIRAS (OS), O JOGO CONTRA O JAPÃO DEVERIA ATÉ SER ANULADO, UM POVO TRADICIONAL, QUE SEMPRE REVERENCIOU SEUS REPRESENTANTES, DEVEM TEREM CAÍDO NUMA PERPLEXIDADE NO PARTICIPAR DE MOMENTOS DE DESONRA PARA UM POVO, DE VER UMA PRESIDENTA INCANSÁVEL NAS RESOLUÇÕES DE NOSSOS PROBLEMAS, SER NOVAMENTE TORTURADA POR ESTA INSANIDADE MOMENTÂNEA E MALDITA PRESENTE DITADURA, PREZADO IRMÃO GIL (POIS TAMBÉM ME CONSIDERO FILHA DE NOSSO PAI, O NOSSO SÁBIO PROF KIKUCHI) NÃO CONSIGO PARAR DE ME INDIGNAR COM ESTA SITUAÇÃO, MOJUBÁ E QUE OS ORIXÁS NOS ORIENTEM COM MUITA SABEDORIA E MUITO AXÉ NOSSOS CAMINHOS 

ANTONIA

Comentário de Adelson Silva de Brito em 22 junho 2013 às 18:20

Pois é kkkkkkk

© 2017   Criado por ERIC ROBERT.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço