Tecnologia e Periferia é tema de oficina no Centro do Rio de Janeiro

Durante os dias 18 e 19 agosto de 2015, o Rio de Janeiro é cenário de mais um encontro Mucho con Poco em Brasil.

Asuntos del Sur realizará uma nova oficina em parceria com Círculos de Cidadania, Copyfighte, Desenvolvimento, Periféricos.JOR e Midia Étnica.

Com o título, Tecnologias e Periferias, a oficina busca contribuir para o intercâmbio de experiências de ativistas comprometidos com a defesa dos direitos humanos e da cidadania. Dentre seus objetivos, encontra-se a geração de redes de trabalho para o fortalecimento das ações dos movimentos sociais que atuam na consolidação de democracias através do uso de recursos inovadores.

A Oficina acontece nos dias 18 e 19 de agosto, das 9h às 18h, na Fundação São Martinho R. Riachuelo, 7 - Lapa, Rio de Janeiro. O programa se estrutura em módulos, cada um com debate inicial seguido da apresentação de uma experiência prática. Uma das experiências que será apresentada é o projeto Vojo Brasil, iniciativa de democratização do compartilhamento de comunicação difundido pelo Instituto Mídia Étnica.

Veja a Programação completa. Clique aqui 

Violência, direitos humanos e cidadania

Diante dos crescentes níveis de violência no país, observamos a emergência de dois discursos que concorrem ao redor da definição dos conceitos de direitos humanos e cidadania. Por um lado, ativistas, profissionais de diversos setores e alguns parlamentares se destacam em suas árduas trajetórias em defesa dos Direitos Humanos. Estes atores advogam contra as discriminações, a favor da efetiva realização do estado de direito no país. Segundo eles, o estado deve ser o principal agente garantidor da integridade das pessoas e dos direitos de cidadania.

Por outro lado, no imaginário popular vem se propagando a ideia de que a humanidade e o direito à integridade física devem estar condicionados ao cumprimento de alguns preceitos legais, sobretudo no que se refere ao respeito à propriedade privada. Nesse sentido, alguns discursos, como o tão repetido refrão “bandido bom é bandido morto” e a ideia de que os defensores dos direitos humanos são protetores de criminosos, ainda mantêm a popularidade. A negação ideológica dos direitos humanos, especialmente através de discursos políticos e midiáticos com massiva reprodução midiática, chegam a níveis tão preocupantes que têm levado à banalização da violência institucional do estado, que opera sistematicamente contra os grupos sociais mais vulneráveis.

Atravessados pela violência e envolvidos em situações de exclusão, surgem ações afirmativas e inovadoras que buscam mudar essas situações. Desde espaços alternativos, novos atores impulsionam processos criativos. Quem cotidianamente vê ser violados os  seus direitos são aqueles que não descansam, acompanhados em suas lutas pelo uso inovador dos elementos que encontram em seu alcance e carregados de um sentimento de fortaleza que rompe as estruturas de poder sedimentadas.

Nesse contexto, Asuntos del Sur, com diversos coletivos de atores sociais brasileiros e de outros países latino-americanos, propõem colocar em foco as problemáticas que se  configuram como barreiras à efetiva realização dos Direitos Humanos em contextos de violência urbana e institucional, no Brasil de hoje.

Exibições: 192

Comentar

Você precisa ser um membro de Correio Nagô para adicionar comentários!

Entrar em Correio Nagô

Comentário de Janice Santana Cruz em 20 agosto 2015 às 1:42

Que importante encontro, oficina,visando o fortalecimento necessário para as nossas ações sociais.

Parabéns! Avante!!! 

Translation:

Publicidade

Baixe o App do Correio Nagô na Apple Store.

Correio Nagô - iN4P Inc.

Rádio ONU

Sobre

© 2019   Criado por ERIC ROBERT.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço