UFRN tem 420 vagas destinadas para Cotas sociais e raciais

Este ano a universidade federal do Rio Grande do Norte (UFRN) realiza seu último vestibular tradicional. A um mês da realização das provas, a instituição anunciou mais uma mudança no processo seletivo. Saí o sistema "Argumento de Inclusão" e entra a Lei de Cotas, sancionada pela presidenta da Republica, Dilma Rousseff, e publicada no Diário Oficial da União no último dia 15.

Com a adesão a Lei das cotas, a instituição está destinando 420 vagas (12,5%) de total de 3.015 destinadas ao vestibular tradicional aos cotistas. As outras 3.015 que completam o total de vagas são definidas pelo sistema de seleção unificada (SiSU), que utiliza a nota do Exame Nacional do Ensino Médio(Enem) como forma de ingresso.

Na UFRN, os 50% de cota que a lei determina serão alcançados em quatro anos, aumentando a cada ano 12,5%%. A Lei substitui o sistema  "Argumento de Inclusão", por meio  do qual a instituição oferecia um acréscimo de 10% na nota final do estudante que tivesse freqüentado a escola pública desde a 6ª serie do ensino fundamental.

A presidente da Comissão Permanente de Vestibular da UFRN (COMPREVE), Magda Pinheiro, explicou que como a universidade já adotava o Sistema de Argumento ficou mais fácil aderir a Lei de Cotas. ”Não houve grande mudança, pois o público que irá ingressar na UFRN  já ingressava na instituição por meio do argumento de inclusão”, disse. No ano passado, o percentual de aprovados na UFRN por meio do argumento de inclusão foi de 12,5%, o mesmo índice exigido pela Lei de Cotas.

Magda Pinheiro destacou que os critérios de desempenhos serão mantidos. Com isso, mesmo com a Lei de Cotas, os candidatos terão que atingir o ponto de corte mínimo de 450 pontos para garantir a aprovação.

"Não é porque o candidato é negro que o seu ingresso na UFRN está garantido. Ele tem que passar pelos critérios de desempenho”, explicou a presidente da comperve.

A presidente explicou que, no ultimo dia do vestibular, que acontece de 25 a 27 de novembro, o candidato receberá um formulário para definir se quer concorrer pelo sistema de cotas, ou se prefere disputar as vagas restantes pelo modo tradicional. Ele deverá identificar neste formulário sua renda per capita e a raça pertence, entre negro, pardo ou índio.

“A portaria da Lei de Cotas diz que a identificação da raça do candidato será por autodeclaraçao. Basta o candidato se declarar negro, que ele concorrerá dentro das vagas” afirmou.

Para o curso de Medicina, por exemplo, estarão disponíveis 50 vagas para o vestibular tradicional. Desta, sete serão oferecidas exclusivamente aos alunos cotistas, e as outras 43 vagas à concorrência livre.

Uma cartilha esta disponível a partir de hoje no site da Comperve (www.comperve.ufrn.brr), orientando os candidatos e o novo edital do processo seletivo já alterado com a s novas mudanças. A UFRN determinou a porcentagem para cada raça, de acordo com dados do IBGE.

Fonte: Elisângela Ferreira - Correspondente do Correio Nagô no Rio grande do Norte

Exibições: 154

Comentar

Você precisa ser um membro de Correio Nagô para adicionar comentários!

Entrar em Correio Nagô

Translation:

Publicidade

Baixe o App do Correio Nagô na Apple Store.

Correio Nagô - iN4P Inc.

Rádio ONU

Sobre

© 2019   Criado por ERIC ROBERT.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço