Usina conta Zumbi: espetáculo homenageia líder quilombola

Usina Conta Zumbi: espetáculo teatral homenageia líder quilombola

GrupUsina de Teatro faz aniversário, levando ao palco as conseqüências da escravidão

 

Para comemorar os 10 anos de trajetória na cena teatral baiana, o GrupUsina de Teatro montou o espetáculo cênico-musical Usina Conta Zumbi, uma homenagem ao mais importante líder da luta negra no Brasil. A peça, com direção de Ana Paula Carneiro (Mister Holliday), será encenada nos dias 28, 29 e 30 de janeiro, às 18h30, no Teatro Martim Gonçalves, na Escola de Teatro da Ufba, Canela. A entrada é gratuita.

O espetáculo recria, através de sucessivos quadros e músicas executadas ao vivo, a figura lendária de Zumbi, líder do quilombo de Palmares, símbolo de resistência contra a escravidão e a opressão. Livremente inspirado na histórica montagem de 1965, Arena Conta Zumbi - texto de Augusto Boal e Gianfrancesco Guarnieri e música de Edu Lobo, o espetáculo dialoga com a contemporaneidade, relacionando os acontecimentos e personagens do passado com os fatos políticos, sociais e econômicos da atualidade, como trabalho escravo, ações afirmativas, sistema de cotas, inserção do negro na mídia e no mercado de trabalho, os movimentos sociais e a questão ambiental de Salvador.

“Decidimos celebrar os 10 anos de criação da companhia com a releitura de um clássico do teatro político feito no Brasil. Colocando as nossas idéias e angustias em relação a um passado de horror do nosso Brasil e que deixou marcas profundas em nossa identidade”, explica a atriz e diretora Ana Paula Carneiro.

“Apostamos no trabalho de criação coletiva, investindo igualmente nas características do ator atuador e do sistema Curinga, criado por Augusto Boal”, destaca Ana Paula. O modelo dramatúrgico criado pelo encenador carioca permite a montagem de qualquer peça com elenco reduzido, ao focar na versatilidade dos atores e alterar as tradicionais relações narrativas de gênero, permitindo uma expressiva colagem estética. Fundadora da companhia, ao lado do ator, diretor e dramaturgo Uarlen Becker, Ana Paula Carneiro vem se destacado como atriz, em espetáculo como Três história pra lembrar (Luiz Antônio Jr.), Rubem (direção coletiva, sob supervisão de Fernando Guerreiro), Noite em família (Vida Oliveira), A grande Peleja (Ivo Gato), além das peças do GrupUsina.

A montagem Usina conta Zumbi comemora os 10 anos de atividades do GrupUsina de Teatro, companhia criada com o objetivo de encenar peças de diversos estilos, em palco, rua e espaços alternativos, investindo na pesquisa, na criação de uma dramaturgia própria e na prática constante da investigação dos elementos essenciais de comunicação do teatro. Nesta década de atuação, o grupo se apresentou em diversas cidades brasileiras, participou de importantes festivais, como o Festival de Curitiba, e ganhou prêmios, incluindo o prêmio Braskem de melhor peça baiana do ano de 2007 na categoria júri popular por Gozo Frio.

Entre as montagens do GrupUsina, estão: As Três Marias, Balada do lado sem luz, Poema de Banheiro, o infantil O gênio do livro, O homem que só comia veado, baseado na literatura de cordel, Mister Holliday, Gozo Frio, À maneira de Godard e D’As criadas, entre outros.

 

SERVIÇO

 

Usina conta Zumbi

Livremente inspirado em Arena Conta Zumbi

 

Encenação: GrupUsina

Texto final e direção geral: Ana Paula Carneiro

Elenco: Adilson Passos, Águeda Tavares, Alef Bernardes, Edlene Silva, Evaldo Maurício, Diego Alcântara, Fernanda Silva, Liz Novais, Omar Leoni, Wellington Reis, Tiago Lobo e Uarlen Becker.

Assistentes de direção: Luiz Antônio Jr. e Lincoln Santos,

Direção e preparação musical: Roquildes Jr. e Gabriel Carneiro Costa

 

Quando: dias 28, 29 e 30 de janeiro (de sexta a domingo), às 18h30

Onde: Teatro Martim Gonçalves, Escola de Teatro da UFBA – Av. Araújo Pinho, Canela.

Entrada Gratuita

Contatos: (71) 8725-0043 - Ana Paula Carneiro

www.usinacontazumbi.blogspot.com

e-mail: grupusina@gmail.com

Exibições: 147

Comentar

Você precisa ser um membro de Correio Nagô para adicionar comentários!

Entrar em Correio Nagô

Comentário de Sérgio Cumino em 25 janeiro 2011 às 12:04

Augusto Boal e Guarnieri, criaram uma obra belíssima, que abrilhantaram os palcos paulistas,  com encenação do grupo de Teatro Arena, agora mais de 40 anos, o texto se faz atual, forte, simbolo de uma luta, que percebermos ainda tem muito a caminhar, vale a pena conferir 

Translation:

Publicidade

Baixe o App do Correio Nagô na Apple Store.

Correio Nagô - iN4P Inc.

Rádio ONU

Sobre

© 2019   Criado por ERIC ROBERT.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço