Denúncia: Marinha do Brasil deflagrou guerra a um grupo de famílias que vive próximo à Baía de Aratu e ali habita desde antes da chegada da unidade da Marinha. Via Bahia na Rede

Exibições: 460

Comentar

Você precisa ser um membro de Correio Nagô para adicionar comentários!

Entrar em Correio Nagô

Comentário de Margareth Maria de Lima em 7 janeiro 2012 às 23:04

  socializando a  todos  noticias  recentes sobre  o quilombo,

  À toda comunidade da rede, mais uma denúncia:

Quilombo do Rio do Macaco - Simões Filho/BA - vídeo-denúncia

notícia veiculada no portal Gueledés

Quilombo Rio do Macaco - Comunidade protesta em local onde Dilma pa...

Publicado em Segunda, 02 Janeiro 2012 14:04

quilombo do macaco

Cerca de 50 integrantes da Comunidade Quilombola de Rio dos Macacos, localizada em Simões Filho (BA), na região metropolitana de Salvador, aproveitaram a presença da presidente Dilma Rousseff na Base Naval de Aratu, vizinha à área do quilombo, para promover um protesto contra a Marinha.

Os manifestantes reuniram-se no fim da manhã de hoje, ao lado do muro que separa a Praia de Inema, exclusiva para os militares, e a de São Tomé de Paripe. Ali, gritaram frases como "Presidenta, cadê você?" e "Com a Marinha, quilombola não aguenta", munidos de instrumentos percussivos e faixas.

De acordo com os quilombolas, oficiais da Marinha têm promovido atos de violência contra os moradores da comunidade, tentando pressionar os habitantes a deixar o local. "A gente veio pedir socorro à presidente", conta a líder da comunidade, Rose Meire dos Santos Silva, de 33 anos. "Os militares ameaçam até crianças com as armas."

Dilma, porém, não apareceu na Praia de Inema até o início da tarde. Segundo relatos de barqueiros e pescadores da região, Dilma tem passeado por ilhas da Baía de Todos os Santos, em lanchas da Marinha. A informação, porém, não é confirmada pela assessoria da presidente.

Disputa

Parte da área onde a comunidade está instalada, segundo os moradores, há cerca de 200 anos, é disputada judicialmente pela Marinha, que pretende usar o local para ampliar as instalações da base naval.

Em outubro de 2010, a 10ª Vara Federal da Bahia determinou, por meio de liminar, a desocupação de 43 imóveis do quilombo. A área na qual eles estão localizados foi cercada pela Marinha, e a entrada e saída dos moradores passou a ser monitorada. Um ano depois, porém, a área foi oficialmente declarada comunidade quilombola, com publicação no Diário Oficial da União em 4 de outubro, e a Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), do governo federal, solicitou que a Procuradoria Geral da União (PGU) interviesse no caso.

No início de novembro, o Tribunal de Justiça da Bahia suspendeu a execução da liminar, que estava em fase de cumprimento coercitivo, e deu prazo de mais quatro meses, a partir de 4 de novembro, para negociações.

Veja mais sobre o assunto:

Violação aos direitos das Comunidades Quilombolas pela Marinha do Brasil

Quilombo Rio do Macaco - denuncia flagrantes desrespeitos aos direitos humanos fundamentais</</body>

Comentário de Inaiá Boa Morte Santos em 6 janeiro 2012 às 19:51

Isso é uma vergonha, vamos levar este video todo o país

Comentário de Margareth Maria de Lima em 3 janeiro 2012 às 12:05

     Gente não podemos ficar so na  lamentação, vamos agir  vamos acionar  os  orgão publicos, que  tiver contato vamos atras antes  que seja  tarde. a Fundação Palmares  ja foi acionada. Cade a nosssa  força....

Comentário de junior novaes em 3 janeiro 2012 às 8:45

Amigos estou muito triste com tudo isso que esta acontecendo com a comunidade Quilombola do Rio do Macaco.

afinal o governo deveria proteger essa comunidade, quando a Marinha chegou na quela região já encontraram essas pessoas vivendo da agricultura onde tiravam o seu sustento. cadê a parceria do Governo do Estado? cadê a parceria com o governo municipal? cadê a parceria com o Governo Federal,SEPPIR e o Ministerio da Defesa os projetos Rondon e muitos outros que poderia esta beneficiando essa comunidade? e o prefeito de Simões Filho onde esta? cade as politicas públicas de Promoção da Igualdade Racial? cadê a reparação social? é preciso que as entidades negras e o Movimento Negro Unificado,CEAFRO,UNEGRO, Conselho de Promoção da Igualdade tome providencias com urgencia para amenisar o sofrimento desse povo.

viva o povo negro!

queremos justiça e o que é nosso de direito.

Comentário de joao cicero em 2 janeiro 2012 às 21:25

cade a ministrada igualdade racial e a  dilma ?

 

Comentário de Camila Garcez em 2 janeiro 2012 às 19:50

É o monopólio do poder pelo próprio poder! As pessoas vivem reféns dos ditos "donos do poder". 

O que falar da usucapião, já que essas famílias deram vida à terra! Lamentável...

Comentário de genira de araújo góes em 2 janeiro 2012 às 15:56

Falta de respeito! indignada !!!!

Comentário de Néa Borges em 2 janeiro 2012 às 15:45

Vergonha!!!! Como iniciar o ano desse jeito?

Translation:

Publicidade

Baixe o App do Correio Nagô na Apple Store.

Correio Nagô - iN4P Inc.

Rádio ONU

Sobre

© 2019   Criado por ERIC ROBERT.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço