O atual sistema de proteção racial que temos no nosso país, que se não éperfeito tornou-se um passo importante no resgate de uma dívidahistórica com uma parcela explorada de nosso povo, não nasceu do nada.A Lei Caó, a transformação de racismo em crime inafiançável, as cotasem universidades e o resgate da cultura negra e africana nesse país sãofrutos de um movimento organizado. São consequência de um movimento, lános anos 80 de resgate do orgulho de ser negro, do orgulho dastradições legadas ao país, de uma identidade de COMUNIDADE, que unida émais forte que separada.
E que foi as ruas exigir isso. Não apenas empasseatas ou protestos, mas numa revolução silenciosa e diária. Noassumir características raciais marcantes, como penteados afro, ou usarroupas com cores da África, movimentos culturais e de arte e seposicionando enquanto grupo consumidor, que exigiu produtos e serviçosvoltados a sua especificidade.
Ninguém, nenhum órgão ou político,vai legislar para um grupo invisível. Diferente de negros, que nãopodem fingir ser brancos para serem aceitos, gays tem essapossibilidade. Podem se "heterossexualizar" senão assumindo uma vidahétero, mimetizando essa vida num discurso que fala em ser discretopara ser aceito. Heteronormatizar o movimento gay tem sido um discursorecorrente dentro da própria comunidade. Ele aparece quando se diz quenão é preciso beijar na rua e ofender ninguém. Ou quando se defende quenão é preciso esfregar a sexualidade na cara de ninguém. Aparece nodesprezo aos afeminados que sujam a imagem sendo gays demais.Vem embutida nesse discurso discreto que prega que você desapareça namultidão e passe a ser parte da paisagem. Agindo e pautando sua vidapor regras da sociedade heteronormativa.
O que muitos não percebem é que aofazer isso, se reproduz dentro da comunidade gay, um padrão machista dasociedade. Que diz que o feminino (ou afeminado) é inferior, menosimportante. Que despreza o passivo como menos macho e mais gay que oativo. Que cria castas onde, quanto mais heterossexualizado eu parecermelhor. Seja gay, mas suma na multidão hétero sem que ninguém percebaque você gosta mesmo é de trepar com alguém do seu sexo! Só que é ISSO QUE INCOMODA ELES.E é isso, trepar com alguém do mesmo sexo, a ÚNICA coisa que TODOS osgays tem em comum. Não importa se você é macho alpha, barbie, bombadão,travesti, afeminado, bicha louca...invente o termo que você quiser. No fim, a única coisa que importa para homofóbicos é que você trepa com alguém do seu sexo!


Ah, eles podem fingir aceitar você.Desde que você aceite uma troca. Eu finjo que não me importo que vocêdorme com alguém do mesmo sexo e você faz o favor de restringir suavida afetiva e emocional as quatro paredes da sua casa. Longe dos olhosda sociedade civilizada. Você finge que está tudo bem e eu vou fingirque não acho você uma aberração que deve ficar longe dos olhos dos bonscidadãos Sacou? Essa é a troca que você está fazendo!
Não. Você não precisa ser fã deMadonna e falar gírias para ser gay de verdade. Mas alguns falam. Ealguns são afeminados. E eles NUNCA vão sumir na multidão. E eles estãono mesmo barco que você! Eles não são os inimigos. Eles não estãosujando a imagem da comunidade gay.
Eles são TÃO GAYS COMO VOCÊ.Sem tirar nem pôr. Quem faz o que na cama não devia importar a ninguém,além dos dois envolvidos. E nem determina quem é mais gay.Protestos, sites, paradas e afins sãosuper necessários. Importantes e fundamentais para que possamosconseguir legislação adequada. Mas você quer fazer uma revolução hoje?Então seja gay. Não apenas dentro da sua casa, escondido nas boates ouatrás de portas fechadas. Mas seja você. Homem ou mulher, profissional,filho, amigo, jornalista, professor, afeminado ou não, masculinizada ounão, GAY. Na vida, como na cama. Por que só assim é possível sair dainvisibilidade e dizer em alto e bom som: Eu existo. Viva com isso!
Por Lilah Bianchi

Exibições: 362

Comentar

Você precisa ser um membro de Correio Nagô para adicionar comentários!

Entrar em Correio Nagô

Comentário de Lilah Bianchi em 12 fevereiro 2011 às 9:37

Esse texto é de minha autoria e pode ser encontrado nesse link:

 

http://www.maesougay.com/2011/01/gay-demais.html

 

Eu não sei quem é Geovan Bantu, mas ele não é o autor desse texto. E assinar texto de outra pessoa é plágio, um crime contra direitos autorais. Solicito a retirada do texto.

Translation:

Publicidade

Baixe o App do Correio Nagô na Apple Store.

Correio Nagô - iN4P Inc.

Rádio ONU

Sobre

© 2021   Criado por ERIC ROBERT.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço