BA: Instituto Steve Biko comemora 20 anos com programação gratuita no Pelourinho

 

Hoje, 31/07, e amanhã, 1º/08, uma extensa programação cultural no Centro Histórico de Salvador comemorará os 20 Anos de fundação do Instituto Steve Biko, organização social pioneira no acesso de jovens negros de baixa renda ao ensino superior. As atividades começam às 17h desta terça-feira, com um “Abraço Simbólico” à sede do Instituto, localizado no Largo do Carmo. Logo depois, às 19h, tem palestra no local com a Profª Drª Petronilha Beatriz, que falará sobre a trajetória de superação das desigualdades raciais na concepção da educação brasileira: “um retrospecto histórico dos embates para a inclusão educacional dos afro-brasileiros”.

A quarta-feira será marcada pela música negra. Entre as atrações que sobem ao palco da Praça Pedro Arcanjo (Pelourinho), a partir das 19h, estão a banda percussiva feminina Didá, a Tribo Bóssambá e o grupo de RAP RBF (Rapaziada da Baixa Fria). O show marcará o lançamento do novo do RBF, que leva o nome do próprio grupo e contem 13 faixas que dialogam com as questões raciais e trazem à tona as bandeiras de lutas do movimento negro e seus heróis.

Toda programação de aniversário do Instituto Steve Biko é gratuita.

 “O que, em 1992, começou como curso pré-vestibular, tornou-se uma ampla e exitosa tecnologia de inclusão social e formação de militância antirracista. Milhares de jovens negros de baixa renda Já foram beneficiados. A “Biko”, como carinhosamente chamamos, é resultado do esforço criativo e incansável da militância negra e de todos e todas que acreditam e praticam a diversidade”, afirma o diretor de Projetos do Instituto, Lázaro Cunha.

 

SERVIÇO

20 anos de fundação do Instituto Steve Biko

Programação

Hoje, terça-feira, 31/07

17h Abrace a Biko, abraço simbólico à sede da instituição

19h Palestra com a Profª Drª Petronilha Beatriz

Local: Rua do Paço, n.04, Largo do Carmo, Pelourinho

 

Amanhã, quarta-feira, 1º/08

19h Show musical com banda Didá, Tribo Bóssambá e o grupo de RAP RBF.

Local: Praça Pedro Arcanjo, Pelourinho

GRATUITO

Exibições: 1495

Comentar

Você precisa ser um membro de Correio Nagô para adicionar comentários!

Entrar em Correio Nagô

Comentário de Gel Santos em 1 agosto 2012 às 14:18

Rosivalda Barreto, gostei do seu comentário, parabéns! 

Comentário de maria cristina batista alves em 1 agosto 2012 às 12:05

20 anos é uma vida parabéns fundação e que a luta continue..

Comentário de maria cristina batista alves em 1 agosto 2012 às 12:03

Companheira," Rokza", eu sou polemica na minha busca pela igualdade já...mas nem todas as horas quero questionar todos os argumentos dos irmãos, porque pareceria que só eu tenho a resposta...companheira fique calma se sua luta pela igualdade de direitos tá dentro das buscas das multimídias negras por direitos iguais já..então pra que ficar questionando  quem te persegue nas paginas, companheiras as lutas ainda esta intensa, ficar falando do que pensam da gente se não for de cunho geral nós tornamos chatos e sem muito créditos, toda hora nossa cara sem contesto atrapalha questões a serem visualizadas...abraço...e paz irmã.  

Comentário de Patrícia Maria do Rosário em 1 agosto 2012 às 11:40

Olha, Rokza Stern Meir Habsburg, concordo com Fabio VM quando ele coloca que seus comentário são longos e acaba que fugindo da realidade. quanto a ignorância dele, é indiscutível, mas  muito mim admiro uma pessoa que se diz com UMA POSTULANTE RESPEITADA POR ESSE LOCAL, corresponder a altura, com a mesma ignorância de em TOLO!!!!.

Acho que todos tem o direito de expor o seu sentimento, suas ideias, sem precisar confrontar com o outro, isso se chama EDUCAÇÃO. 

Comentário de Patrícia Maria do Rosário em 1 agosto 2012 às 10:24

Parabéns Fabio VM, concordo plenamente com seu desabafo.

Comentário de gelton de oliveira em 1 agosto 2012 às 9:01

Parabéns ao Instituto Steve Biko, sinto-me honrado em ter feito parte do quadro de professores desta conceituada instituição,e ao mesmo tempo, muito feliz pela trajetória de sucesso da incansável luta por dias melhores para nós OS NEGROS.

Comentário de Rosivalda Barreto em 31 julho 2012 às 13:20

Caros e caras, bom dia!

A Steve Biko está de parabéns por que quem a idealizou compreende que mesmo na ausência de “raça”, por saber que todos somos “raça” humana, convivemos com o racismo à brasileira. Aquele que se nega a cada instante e se metamorfoseia a cada segundo, num país onde o racismo é praticado sem racistas e sem “raça”. Um racismo que tem como produto a ideologia de que o negro é culpado pelo racismo que é exercido sobre ele. Um racismo que abala psiquicamente o racista que crê nas ideologias de hierarquia entre as “raças” e quando esse racista não está psicologicamente abalado exerce uma pressão sobre as pessoas negras mesmo sabendo da inexistência da “raça” para manter a desigualdade entre pessoas afrodescendentes e eurodescendentes. O racismo que propaga “oportunidade” igual para todos negando as pesquisas, estatísticas, os índices que afirmam matemáticamente o racismo antinegro brasileiro, mesmo assim esse racismo se debate para se manter, vivo para provar que embora sejamos “raça” humana, ainda vivemos no Brasil sob a regência de um racismo velado e criminoso. 

A etnia de acordo com Munanga é “um conjunto de indivíduos que, histórica ou mitologicamente, têm um ancestral comum; têm uma língua em comum, uma mesma religião ou cosmovisão; uma mesma cultura e moram geograficamente num mesmo território”, isso no Brasil se distingue do racismo conceitualmente, mas não muda a realidade do racismo brasileiro por que mantém a mesma ideologia sem diluir a hierarquização, diferença e identidade cultural. 

Abaixo seguem alguns demonstrativos numéricos do racismo e alguns textos que o discutem e o confirma no Brasil:

Iniciamos nesse ambiente um debate caloroso sobre racismo na igreja evangélica e abaixo apresento matérias que explicitam o racismo à brasileira

Abismo na educação de branco e negros no Brasil http://www.educacaopublica.rj.gov.br/jornal/materias/0371.html

Homicídios de jovens negros no Brasil http://www.cartacapital.com.br/sociedade/homicidio-de-jovens-e-epid...

Negros e mulheres são minoria transplantados no Brasil http://www.vermelho.org.br/ba/noticia.php?id_secao=58&id_notici...

Pertencer a uma determinada raça/cor exerce “importância significativa na estruturação das desigualdades sociais e econômicas no Brasil” (Henriques, 2001). Segundo Henriques (2001), o desenvolvimento das potencialidades e o progresso social da população negra é impedido pela grande desigualdade racial, que geralmente está associada a formas sutis de discriminação. http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/populacao_negra_e_aids.pdf

As políticas públicas e a desigualdade racial no Brasil, 120 anos após a abolição: http://www.ipea.gov.br/sites/000/2/livros/Livro_desigualdadesraciai...

Primeira Juíza Negra no Brasil, ano 2011, http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/primeira-juiza-negra-do-br.... isso depois de mais de 100 anos de abolição, um verdadeiro absurdo num país sem racismo. Será que durante todos esses anos nenhuma mulher negra quis ser Juiza?

1 branco é morto para cada 2 negros no Brasil http://periferiaemmovimento.wordpress.com/2011/02/25/enquete-por-qu..., Não quero que ninguém morra, mas morrem mais negros que brancos.

Ato denuncia violência policial contra a juventude negra de São Paulo: Encontro na Ação Educativa debateu o aumento da violência do estado contra jovens negros da periferia em 2012. http://www.pt-sp.org.br/noticia/p/?acao=vernoticia&id=14679

 

Taxa de pobreza é mais alta entre negros, http://www1.folha.uol.com.br/folha/cotidiano/ult95u77642.shtml

“Apresentada em Brasília a terceira edição da pesquisa “Retrato das desigualdades de gênero e raça”, idealizada pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), pelo Unifem (Fundo de Desenvolvimento das Nações Unidas para a Mulher) e pela SPM (Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres), traça um detalhado perfil da população brasileira baseado no gênero e raça/cor. O estudo, resultado de um trabalho realizado desde 2005, em que dados dos Pnads (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio) 1996 e 2006 foram utilizados como parâmetro de comparação, conclui que houve uma melhora nos índices de escolaridade, renda e pobreza da população negra. Porém, as condições de vida dos afrodescendentes continuam inferiores comparadas aos dos brancos no Brasil.”  http://www.afrobras.org.br/index.php?option=com_content&view=ar...

RACISMO INSTITUCIONAL: APONTAMENTOS INICIAIS, http://www.artificios.ufpa.br/Artigos/a%20angela%20pace%20rev.pdf

Então viva a Rainha Nzinga, Sarraounia, Kipa Vita, Akotirene, Zeferina, Zumbi dos Palmares, os africanos do Haiti, primeiro país que se libertou da escravidão no mundo. Juliano Moreira, Guerreiro Ramos, Lima Barreto, Milton Santos, Abdias do Nascimento, Sílvio Humberto, o MNU, a UNEGRO. Malcom X, Martin Lutehrking, Rosa Parks, Samora Michael, Patrice Lumumba, Jean-Bertrand Aristides, Nelson Mandela, Cheikh anta Diop, Ki-Zerbo, M’Bokolo, Alisée Soummoni, Jacques Depelchin, Kabengele Munanga, Carlos Moore, Henrique Cunha Junior, Sulei Carneiro, Lélia Gonzáles, Frantz Fanon, Narciámária Luz, Mãe Stela de Oxossi, Mãe Val, Mãe Hilda. E os líderes africanos assassinados pelos países imperialistas por sonharem com uma África Unida: 1957, Dedan Kimathi (Quênia); 1958, Reubem Um Nyobe (Camarões); 1959, Bathelemey Boganda (Rep. Centro Africana); 1960,  Felix-Rolant Moumié (Camaõres), importante téorico pan-africanista, dirigente Da União das Populações de Camarões (UPC). Foi assassinado com o veneno Tálio, em um hotel em Genebra, Suiça, pela “Mão Vermelha”, uma seção do Serviço de Inteligência Francesa (SDECE) que se encarregava, na época, de exterminar os dirigentes nacionais africanos nas colônias francesas. Em 1961, Jean-Pierre Finant (Congo), Joseph Okito, Maurice Mpolo e Patrice Lumumba (Congo Kinshasa - Primeiro-Ministro do Congo, assassinado num complô orquestrado pelos EUA, Bélgica e França. 1963, Sylvanus Olympio (Togo); 1965, Mehdi Bem Barka (Marrocos); 1966, Ossende Afana (Camarões); 1968, Pierre Mulele (Congo); 1969, Eduardo Mondlane (Moçambique -  Presidente da FELIMO (Frente Libertadora de Moçambique), assassinado pelo Serviço de Inteligência de Portugal (PIDE) com uma bomba). Em 1972, Ange Diawara Bidie e  Jean-Baptiste Ikoko (Congo Brazzaville); 1973, Outel Bono (Chade),  Presidente da FELIMO (Frente Libertadora de Moçambique), assassinado pelo Serviço de Inteligência de Portugal (PIDE) com uma bomba. Dirigente pan-africanista assassinado em Paris com dois tiros no peito pelo Serviço de Inteligência da França (SDECE). Amílcar Cabral (Guiné-Bissau e Cabo Verde),  Líder da Gunié-Bissau do (Partido pela Independência de Guiné-Bissau e Cabo Verde), assassinado pelo Serviço de Inteligência de Portugal (PIDE) com participação de traidores do movimento. 1974, Onkgopotse Tiro (África do Sul); 1975, Herbert Chiptepo (Zâmbia) e Josiah Kariuki (Quênia); 1976, Murtala Mohamed (Nigéria), Presidente da Nigéria, foi assassinado pelo serviço secreto dos EUA (CIA) e da Grã-Bretanha (MS). 1977, Steve Biko (África do Sul), assassinado na detenção pelo regime do Apartheid, foi propulsor da filosofia consciência negra. Modibo Keita (Mali), Presidente do Mali, foi eliminado por emergência de um golpe de Estado promovido pela França. 1981, Joe Gqabi (África do Sul); 1982, Ruth First (África do Sul); 1983, Attati Mpakati (Zimbábue); 1986, Samora Machel (Moçambique), 1987, Thoma Sankara (Burkina Faso), Primeiro-Ministro, assassinado em sua residência, presume-se que pelo governo francês, e Kadafi 2011 (Líbia).

Somos muitos, somos tantos negros e negras e os anônimos que fazem a história de combatem o racismo no mundo. Vivamos corajosamente combatendo o racismo e os racistas que com coragem utilizando todas as armas possíveis negando o racismo. Vamos usar todas as armas que tivermos e as posspíveis para combater o crime de racismo no Brasil

Obrigada  a quem teve  a paciência de ler esse simplório escrito.

Comentário de Patrícia Maria do Rosário em 31 julho 2012 às 11:16

Parabéns a todos do Instituto Steve Biko, Pelo carinho e compromisso que tem direcionado ao povo negro.

Comentário de Gel Santos em 31 julho 2012 às 10:20

Parabéns a todos do Instituto Steve Biko, continuem com muitos anos de  vitórias para o povo negro!

Comentário de Rosivalda Barreto em 31 julho 2012 às 8:36

PARABÉNS AOS IDEALIZADORES, ADMINISTRAÇÃO DA STEVE E TODOS OS NOSSOS ANCESTRAIS QUE FORMA RESPONSÁVEIS POR ISSO! PETRONILHA É A MULHER E NÓS SOMOS MAIS!

Translation:

Publicidade

Baixe o App do Correio Nagô na Apple Store.

Correio Nagô - iN4P Inc.

Rádio ONU

Sobre

© 2021   Criado por ERIC ROBERT.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço